Logo ASP

Notícias



Procurador constata ausência de servidores no plantão de hospitais de Campos

Silvana Rust

A situação da saúde de Campos parece estar mais grave do que os munícipes imaginam. Na noite de domingo (6), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), junto ao procurador geral do município de Campos, José Paes, realizaram uma inspeção nas três principais unidades hospitalares — Hospital Ferreira Machado (HFM), Hospital Geral de Guarus (HGG) e Hospital São José — e constataram um fato no mínimo absurdo: embora tivessem assinado o ponto, os servidores não estavam presentes para prestar atendimento à população.


A informação foi divulgada pelo procurador em vídeo publicado na página da Prefeitura Municipal de Campos no Facebook (veja abaixo). Segundo ele, o objetivo da inspeção era, de fato, verificar a presença dos profissionais no local de trabalho. Essa situação já havia sido denunciada pelo vereador Cláudio Andrade no artigo “Filas na saúde ou caô de funcionário?”, publicado no dia 24 de julho no site do Jornal Terceira Via. No texto, o vereador afirma que alguns “agentes públicos são acomodados, pois absorveram por completo a visão de que ‘setor público’ é algo feito para não ser resolutivo, não ofertar nada de qualidade e ser emperrado”.


O artigo teve grande repercussão na primeira sessão da Câmara Municipal após o recesso, que aconteceu no último dia 1º. Na ocasião, um grupo de servidores da saúde foi até lá reivindicar a respeito da carga horária, que poderia ser reajustada de 30 horas para 40 horas semanais. O Ministério Público voltou atrás e suspendeu essa recomendação pelos próximos 30 dias, quando o assunto deverá ser discutido entre a categoria, sindicato e Prefeitura. Ainda nesse dia, parte do grupo chegou a se manifestar contra o vereador Cláudio Andrade (PSDC). Após saber da ação ontem, o vereador declarou:


“No artigo, de forma correta e sem querer atingir nenhum servidor honrado e que trabalha cumprindo sua carga horária, apenas relatei que em todo o país há pessoas que infelizmente não fazem jus à função de servir. Espero que no caso municipal, que não foi levantado por mim e sim pelo procurador José Paes, que o Prefeito Rafael possa tomar as medidas que entenda cabíveis. O importante de tudo isso será a qualidade de atendimento ao povo, esse sim, os mais afetados quando há desencontros na saúde pública”.


De acordo com o procurador, José Paes, essa atitude prejudica o serviço prestado à população. “É importante a gente destacar que cada profissional desse, que não está cumprindo a sua carga horária de trabalho, recebe mensalmente um recurso poderia estar sendo utilizado para comprar um medicamento, um insumo, para dar melhores condições de trabalho para esses próprios servidores… A gente sabe que a grande maioria dos servidores públicos municipais cumpre com as suas obrigações e merece ser valorizado por isso, mas a gente tem sim aqueles profissionais que infelizmente não cumprem a carga horária de trabalho e isso acaba causando um prejuízo aos cofres públicos”, declarou.


O procurador finalizou o vídeo destacando que “continuará adotando essas medidas (inspeções) em parceria com o Ministério Público” para “aos poucos, resolver esse problema de anos na saúde pública”.

-------------------------------------------------
terceiraviaonline
http://www.jornalterceiravia.com.br/2017/08/07/procurador-constata-ausencia-de-servidores-no-plantao-de-hospitais-de-campos/

Mais Notícias

Programação do Sesi Cultural com várias atrações até o fim do mês

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão

Governo antecipa metade do 13º para aposentados e pensionistas do INSS

Justiça garante sessão extraordinária da Câmara que apreciará contas de Rosinha

Vistoria itinerante do Detran em Campos

Supremo confirma pensões para filhas de servidores civis solteiras e maiores de 21 anos

Desconto para previdência volta a ser de 11% assim que Estado do Rio for notificado de decisão

Café da Comunhão' leva a três pedidos de afastamento protocolados

Justiça determina bloqueio de R$ 22 milhões na conta da Prefeitura de Campos

Trânsito de Campos conta com agentes educadores em pontos estratégicos

Lava Jato deflagra no Rio desdobramento da ‘Operação Fatura Exposta’

Começa nesta quarta-feira 59ª ExpoAgro de Campos

Motorista de van protestam contra alteração prevista para o transporte alternativo

Júri do caso Patrícia Manhães será nesta quarta-feira

Eike Batista é condenado a 30 anos por corrupção e lavagem de dinheiro

Com quase 2 mil casos, Prefeitura decreta epidemia de Chikungunya em Campos

Supremo mantém fim do imposto sindical obrigatório

Alerj aprova reposição salarial de 5% para servidores do TJ-RJ, do MP e da Defensoria

STF manda inquéritos para Justiça Federal

AGORA É LEI: LINHAS TELEFÔNICAS DEVEM SER DESBLOQUEADAS EM ATÉ 24 HORAS APÓS PAGAMENTO

AGORA É LEI: SACOLAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS SERÃO PROIBIDAS NO ESTADO

Prédio histórico no Centro de Campos ameaça desabar e trânsito é interditado nas imediações

Lula recorre contra decisão do TRF-4 que barrou recurso ao Supremo

Campos é a única cidade do Estado a ter autódromo

Brasil pode se tornar grande exportador de petróleo, diz executivo

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas