Logo ASP

Notícias



Ministério Público pede bloqueio de bens de José Junior, do Afroreggae

Divulgação

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou ação civil pública (ACP) contra o Grupo de Ação Social Afroreggae, por improbidade administrativa. A ação foi feita por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital e atinge também a ex-secretária de Estado de Educação (Seeduc) Tereza Porto e a servidora pública Mônica Reis Marzano.


O Ministério Público também requereu a indisponibilidade dos bens dos demandados, incluindo José Junior, fundador da ONG, e penhora on line, no valor de R$ 2 milhões, de todas e quaisquer contas bancárias deles. A ação aponta duplicidade de plano de trabalho em convênios celebrados entre a Seeduc e o Afroreggae, em 2009, bem como a escolha direta do grupo de ação social, “com dispensa de processo seletivo entre entidades sociais que realizem atividades compatíveis com o objeto do convênio, além da ausência das atividades previstas no objeto do contrato”.


O MPRJ ressalta, no despacho, que a ex-secretária Tereza Porto assinou, em 2010, termo aditivo ao convênio com o Afroreggae, com o objetivo de remanejar dos valores direcionados ao Projeto Papo Responsa, em razão de estar sendo executado em outro convênio. Na avaliação da juíza, o fato “demonstra a falta de planejamento e zelo com o patrimônio público, evidenciado o desperdício do dinheiro público em valor equivalente a R$ 165 mil”.


Para o ministério, os planos de trabalho apresentados para o convênio e seu aditivo foram insuficientes, em razão da ausência de fixação de metas a serem atingidas, tais como o número de palestras, oficinas, a carga horária, entre outras especificações.


“A indicação somente das escolas e a quantidade de alunos a serem contemplados com o objeto do convênio não atendeu aos requisitos mínimos legais, que prevêem a necessidade de cronograma-físico e financeiro com o detalhamento de todas as atividades a serem desempenhadas e o custo unitário de cada atividade, na forma da lei”.


A avaliação que consta na ação civil pública da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital é de que o referido convênio, que tinha como objeto promover ações de inclusão social e redução da violência aos alunos da rede em áreas de risco social “gerou enriquecimento ilícito do Afroreggae”. Ações socioculturais iriam possibilitar a inclusão social de jovens em idade escolar,


No entendimento do ministério, a funcionária Mônica Reis Marzano, da Secretaria de Estado de Educação, gestora do convênio, com a função de fiscalizar os trabalhos, “apresentou prestação de contas sem comprovar o custo unitário de cada atividade executada, além de ter deixado de informar a ausência de prestação das atividades previstas no objeto do documento, contribuindo, assim, para o enriquecimento ilícito”.


Amigo e parceiro de trabalho do apresentador Luciano Huck e do economista Armínio Fraga, José Junior foi um dos principais apoiadores do senador Aécio Neves (PSDB) no Rio de Janeiro durante a campanha de 2014 à Presidência da República.

-------------------------------------------------
jbonline
http://www.jb.com.br/rio/noticias/2017/08/07/ministerio-publico-pede-bloqueio-de-bens-de-jose-junior-do-afroreggae/

Mais Notícias

MAIS TRANSPARÊNCIA NAS PROMOÇÕES EM POSTOS DE GASOLINA

Delegacia da Jucerja será inaugurada nesta sexta

Alvo de investigações internacionais, Rei Arthur vive exílio de luxo em Miami

Ex-chefe de campanha na Colômbia é acusado de receber propina da Odebrecht

Vaccarezza é preso na Lava Jato e será levado para Curitiba

Rosinha investigada por improbidade e descumprimento da LRF

Procon divulga nomes de restaurantes autuados durante operação

Sem reajuste, com desconto maior no contracheque: saiba como os servidores serão afetados pelo ajuste fiscal

Chequinho: prazo encerra e advogado dativo não entrega defesa de Garotinho

Ponto biométrico para todos

TRE determina rezoneamento no interior; Campos terá três ZEs extintas

Servidores questionam demora no depósito dos atrasados, mas governo garante pagamento nesta terça

Operação para fiscalizar postos de combustíveis acontece na manhã desta terça

Ação Penal da Chequinho com novos capítulos esta semana

Servidores municipais protestam em frente à Secretaria de Saúde

Funcionários da Vital desistem de paralisar atividades de Limpeza Pública

Secretário de Fazenda promete pagar salários de maio, junho e julho na próxima semana

Uenf em enfrentamento no Rio

Em uma semana, mais de 15 mil servidores do Estado do Rio iniciam período de greve

MP cumpre busca e apreensão na casa dos Garotinho, na Lapa, e na Prefeitura de Campos

Carla Machado leva deputados a Atafona e cobra apoio para contenção

Procurador constata ausência de servidores no plantão de hospitais de Campos

Em assembleia, Uenf aprova greve por tempo indeterminado

Cobrança de propina no governo do Rio era replicada na prefeitura

"Caso Lula tenha feito pagamentos para obras no sítio ficará fácil provar", diz Moro

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas