Logo ASP

Notícias



Caos na Saúde de Campos gera denúncia por parte de médicos

Antônio Leudo
Hospital Ferreira Machado (HFM)

Hospital Ferreira Machado (HFM)

Em reunião extraordinária realizada na noite da última terça-feira (3), na Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia, com representantes do Sindicato dos Médicos de Campos (Simec) e do presidente da seccional campista do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj), foi discutido os problemas da saúde pública municipal, visando prestação de esclarecimentos e providências para minimizar os agravos. Uma assembleia geral foi convocada para o próximo dia 17, quando será votada a possibilidade de greve.


— O problema da saúde vem se arrastando desde o governo passado, não é uma coisa atual. A gente tem conhecimento e compreensão de que o orçamento diminuiu pela metade. Temos conversado com o prefeito e a secretária. O que a gente luta é para mostrar aos gestores que estamos lidando com vidas. Essa é a minha grande angústia. O prefeito tem que criar um modelo de gerência e ver o que vai comprar, quais serviços vai ter. Tem que tentar se readequar a esse orçamento. Até concordo que algumas unidades talvez possam ser fechadas, isso é um modelo gerencial. Existem postos próximos. Mas, tudo tem que ser definido. A gente entende e concorda. Agora, não pode faltar material, medicamento e insumo para operar e tratar um paciente — disse o presidente do Simec, José Roberto Crespo.


Há mais de um mês os médicos haviam se reunido com o prefeito Rafael Diniz e a secretária de Saúde, Fabiana Catalani, para expor a situação. Documentos foram protocolados com demandas médicas que precisavam ser atendidas pelo risco de prejuízos à população e à qualidade do serviço. Entre as demandas, foi solicitado um relatório de gastos com a saúde, sem retorno. De acordo com os médicos, foi dado prazo de um mês para reposição de insumos e medicamentos, mas não houve nenhuma medida efetiva para mudança.


Em nota coletiva emitida pelos médicos, houve reclamação pela redução das equipes de plantonistas da UPH de Guarus, UPH da Saldanha Marinho e do Hospital São José; pela extinção do serviço de ortopedia para cirurgias eletivas, que realizava cerca de 200 cirurgias por mês; e pelo desmonte da rede de apoio dos hospitais contratualizados para ortopedia, com redução de 95% das transferências antes realizadas de pacientes ortopédicos oriundos do Hospital Ferreira Machado (HFM) para a Sociedade Portuguesa de Beneficência de Campos (SPBC), o Hospital Plantadores de Cana (HPC) e a Santa Casa.


Ainda segundo os médicos, o fechamento de várias unidades básicas de saúde e dos serviços médicos especializados dos hospitais contratualizados gerou superlotação nos hospitais de emergência, com sobrecarga das equipes e da estrutura dos hospitais. Apesar de apelos, não foi permitida a substituição do plantonista que tem direito a férias.


Outra reclamação é pela demissão coletiva dos médicos sob regime de RPA, motivada pelo atraso de dois meses nos vencimentos, além do corte de 60% nos salários e a incerteza dos próximos pagamentos. “Por causa dessas demissões, a UBS do Farol já não conta com cerca de 17 médicos “RPAs” e, como consequência, encontra-se sem atendimento médico em vários dias da semana”.


A Prefeitura alega que as dificuldades financeiras foram agravadas e informou “que vem mantendo diálogo permanente com hospitais contratualizados, a classe médica e servidores na tentativa de resolver a situação. O secretário da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha, informa que a rede municipal possui mais de mil médicos em seu quadro permanente (concursados) e que, portanto, conta com médicos em várias unidades de saúde, que vem mantendo o atendimento aos munícipes. Providências estão sendo tomadas, porém, o município não está desassistido e não houve fechamento de unidade de saúde”. (M.B.)


Risco de paralisação em alguns setores


Em nova reunião com o prefeito, a secretária de Saúde, diretores clínicos e representantes dos médicos RPAs, na última segunda (2), também não foi dada solução para o pagamento dos salários. Médicos obstetras, pediatras e anestesistas da maternidade da SPBC protocolaram documento para paralisar atendimento a partir de novembro. Várias enfermarias de especialidades que funcionavam nos hospitais contratualizados foram fechadas.


— Vamos realizar a assembleia, fazer algumas ações para estimular o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Defensoria Pública, para deixá-los cientes. Estamos preocupados. No município de Campos, 90% da população depende do Sistema Único de Saúde (SUS). Várias situações estão ocorrendo e, quando chega lá na ponta, não tem o remédio, não tem a prótese para o paciente. E quem está na frente é o doutor que atendeu, que vai ser cobrado pelo paciente e por seus parentes. Eles não querem saber se o prefeito não mandou o remédio, se está faltando remédio no hospital. Querem saber que eles mesmos ou parentes estão na cama do hospital e precisam ser atendidos. Há um desgaste grande — encerrou o presidente do Simec.


A nota da Prefeitura também explica o que agravou o quadro financeiro. “O município vem se esforçando para manter os pagamentos em dia, o que foi possível até o mês de julho. O secretário Quintanilha, informa que o repasse da Participação Especial dos royalties, referente ao mês de agosto, veio muito abaixo do valor previsto, por isso, foi necessário reavaliar o cronograma de pagamentos da prefeitura. Entre as readequações, estão o pagamento de 50% do valor do complemento feito pela prefeitura aos hospitais contratualizados, referente a agosto, e o pagamento dos contratados através do RPA, também, teve que ser parcelado. Os cargos comissionados (DAS) não receberam o pagamento referente ao mês de agosto. Os repasses federais dos hospitais contratualizados estão sendo feitos normalmente a estas unidades”.

-------------------------------------------------
folha1
http://www.folha1.com.br/_conteudo/2017/10/geral/1225544-caos-na-saude-de-campos-gera-denuncia-por-parte-dos-medicos.html

Mais Notícias

Ônibus de monitoramento reforça segurança no Centro

Chequinho: Kellinho, Miguelito e Ozeias têm recursos negados pelo TRE-RJ

Pezão afirma que salários de servidores devem ficar em dia em fevereiro

Justiça suspende contrato da Prefeitura com delator da operação Caixa d'Água

Planilha sugere que ex-diretor da Globo recebeu propina de US$ 1 milhão

Trabalhador que receber menos que o mínimo fará recolhimento complementar

Governo do Rio informa à Justiça que Garotinho se autolesionou no presídio

Operação Caixa d'água: Quatro juízes antes de Glaucenir e Ralph

Nome da operação é inspirado nas fotos da "farra dos guardanapos", de Paris

Rosinha é levada para o presídio feminino de Campos

Por determinação da Justiça, Garotinho é transferido para Benfica, onde está Cabral e Picciani

Mensagem sobre multa para quem não fizer biometria é falsa, diz TSE

Tribunal nega absolvição sumária de Marisa Letícia

Prazo para renovação de contratos do Fies prorrogado até dia 30

ÁGUA NATURAL E ÁGUA ADICIONADA DE SAIS SERÃO DIFERENCIADAS PELA COR DA EMBALAGEM

TRF2 aceita pedido de prisão de Jorge Picciani e mais dois deputados da Alerj

Estado do Rio paga salários de setembro para servidores que ganham até R$ 2.826 na sexta-feira

Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, diz MPF

Servidores federais: segunda parcela do 13º salário será paga no início de dezembro

Mulher relata coação no corredor do Fórum

Rafael Diniz decreta corte no próprio salário, no da vice-prefeita e dos DAS

Cultura em movimento contra manifestação de racismo por alunos do IFF

Governo publica confirmação de empréstimo, e salários atrasados devem sair até...

Juiz nega embargos e revisa pena de ex-secretária e ex-coordenadora do Cheque Cidadão

Ministro da Justiça diz que comandantes de batalhões da PM são sócios do crime organizado no RJ

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas