Logo ASP

Notícias



Polícia desarticula grupo que visava fraudar o Enem e lucrava com fraudes

Reprodução/TV Globo

Uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal e de Goiás tem como alvos 33 suspeitos com a intenção de fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com os investigadores. Entre eles, 15 são de Brasília, e 18 de Goiânia. A Justiça autorizou, na manhã desta segunda-feira, buscas em 16 endereços ligados aos suspeitos, em cinco regiões do DF e em Goiânia, além do cumprimendo de cinco prisões preventivas, três temporárias (de 30 dias) e oito conduções coercitivas, para esclarecimentos na delegacia da capital federal.


Há buscas relacionadas a todos os alvos, incluindo um dos chefes do bando que fraudava provas e que é ex-funcionário do então Centro de Promoção e Seleção de Eventos (Cespe) – atual Cebraspe, segundo adiantou o "Bom dia Brasil", da TV Globo. Outro alvo da polícia é um aliciador, cuja função era se aproximar de concurseiros na porta de cursinhos, buscando encaminhá-los para os principais articuladores envolvidos no esquema.


Os investigadores afirmaram que o ex-funcionário teria movimentado mais de R$ 1 milhão em recebimento de propina de interessados em passar em vestibulares e concursos, apenas em 2016. O valor do pagamento variava entre R$ 5 mil e R$ 20 mil de entrada. Com a aprovação do candidato, a propina podia render até R$ 100 mil ao grupo, sendo que a quantia dependia da remuneração prevista no edital. A investigação indica que mais de cem pessoas possam ter se beneficiado da fraude, em todo o país.


Quando esse suspeito foi intimado a depor, em Goiânia, em março deste ano, a polícia estava começando a desmontar o esquema. Na época, ele foi demitido. Sua responsabilidade era a digitalização das provas e das folhas de respostas. Segundo os investigadores, é possível que ele estivesse participando do grupo criminoso desde 2013.


Os suspeitos vão responder por formação de organização criminosa, fraude a certame licitatório, falsidade ideológica e, em alguns casos, lavagem de dinheiro. Até a conclusão da reportagem, o Cebraspe e o Ministério da Educação não haviam respondido.


Embora eles tenham começado a atuar em parceria com Hélio Garcia Ortiz, apontado pelos investigadores como o chefe do grupo, decidiram atuar sozinhos. Ortiz, por sua vez, foi preso em agosto deste ano, sob a suspeita de integrar a "Máfia dos Concursos". No entanto, não foi a primeira vez que ele foi responsabilizado pelo crime. Em 2005, Ortiz foi detido pela Deco na Operação Gallieu.


O filho dele, Bruno de Castro Garcia Ortiz, foi preso há dois meses, assim como outros integrantes, como Rafael Rodrigues da Silva Matias e Johann Gutemberg dos Santos, sendo que este foi solto por determinação judicial e responde ao processo em liberdade.


A investigação é a segunda fase da operação Panoptes, deflagrada pela Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deco), da Policia Civil do DF. No Distrito Federal, a ação ocorre nas seguintes regiões: Recanto das Emas, Sudoeste, Vicente Pires, Guará e Águas Claras. Já na capital goiana, é coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Dercap), onde a polícia investiga fraude em concurso para delegado.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/noticias/educacao/policia-desarticula-grupo-que-visava-fraudar-enem-lucrava-com-fraudes-22008302.html

Mais Notícias

Ônibus de monitoramento reforça segurança no Centro

Chequinho: Kellinho, Miguelito e Ozeias têm recursos negados pelo TRE-RJ

Pezão afirma que salários de servidores devem ficar em dia em fevereiro

Justiça suspende contrato da Prefeitura com delator da operação Caixa d'Água

Planilha sugere que ex-diretor da Globo recebeu propina de US$ 1 milhão

Trabalhador que receber menos que o mínimo fará recolhimento complementar

Governo do Rio informa à Justiça que Garotinho se autolesionou no presídio

Operação Caixa d'água: Quatro juízes antes de Glaucenir e Ralph

Nome da operação é inspirado nas fotos da "farra dos guardanapos", de Paris

Rosinha é levada para o presídio feminino de Campos

Por determinação da Justiça, Garotinho é transferido para Benfica, onde está Cabral e Picciani

Mensagem sobre multa para quem não fizer biometria é falsa, diz TSE

Tribunal nega absolvição sumária de Marisa Letícia

Prazo para renovação de contratos do Fies prorrogado até dia 30

ÁGUA NATURAL E ÁGUA ADICIONADA DE SAIS SERÃO DIFERENCIADAS PELA COR DA EMBALAGEM

TRF2 aceita pedido de prisão de Jorge Picciani e mais dois deputados da Alerj

Estado do Rio paga salários de setembro para servidores que ganham até R$ 2.826 na sexta-feira

Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, diz MPF

Servidores federais: segunda parcela do 13º salário será paga no início de dezembro

Mulher relata coação no corredor do Fórum

Rafael Diniz decreta corte no próprio salário, no da vice-prefeita e dos DAS

Cultura em movimento contra manifestação de racismo por alunos do IFF

Governo publica confirmação de empréstimo, e salários atrasados devem sair até...

Juiz nega embargos e revisa pena de ex-secretária e ex-coordenadora do Cheque Cidadão

Ministro da Justiça diz que comandantes de batalhões da PM são sócios do crime organizado no RJ

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas