Logo ASP

Notícias



Polícia desarticula grupo que visava fraudar o Enem e lucrava com fraudes

Reprodução/TV Globo

Uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal e de Goiás tem como alvos 33 suspeitos com a intenção de fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com os investigadores. Entre eles, 15 são de Brasília, e 18 de Goiânia. A Justiça autorizou, na manhã desta segunda-feira, buscas em 16 endereços ligados aos suspeitos, em cinco regiões do DF e em Goiânia, além do cumprimendo de cinco prisões preventivas, três temporárias (de 30 dias) e oito conduções coercitivas, para esclarecimentos na delegacia da capital federal.


Há buscas relacionadas a todos os alvos, incluindo um dos chefes do bando que fraudava provas e que é ex-funcionário do então Centro de Promoção e Seleção de Eventos (Cespe) – atual Cebraspe, segundo adiantou o "Bom dia Brasil", da TV Globo. Outro alvo da polícia é um aliciador, cuja função era se aproximar de concurseiros na porta de cursinhos, buscando encaminhá-los para os principais articuladores envolvidos no esquema.


Os investigadores afirmaram que o ex-funcionário teria movimentado mais de R$ 1 milhão em recebimento de propina de interessados em passar em vestibulares e concursos, apenas em 2016. O valor do pagamento variava entre R$ 5 mil e R$ 20 mil de entrada. Com a aprovação do candidato, a propina podia render até R$ 100 mil ao grupo, sendo que a quantia dependia da remuneração prevista no edital. A investigação indica que mais de cem pessoas possam ter se beneficiado da fraude, em todo o país.


Quando esse suspeito foi intimado a depor, em Goiânia, em março deste ano, a polícia estava começando a desmontar o esquema. Na época, ele foi demitido. Sua responsabilidade era a digitalização das provas e das folhas de respostas. Segundo os investigadores, é possível que ele estivesse participando do grupo criminoso desde 2013.


Os suspeitos vão responder por formação de organização criminosa, fraude a certame licitatório, falsidade ideológica e, em alguns casos, lavagem de dinheiro. Até a conclusão da reportagem, o Cebraspe e o Ministério da Educação não haviam respondido.


Embora eles tenham começado a atuar em parceria com Hélio Garcia Ortiz, apontado pelos investigadores como o chefe do grupo, decidiram atuar sozinhos. Ortiz, por sua vez, foi preso em agosto deste ano, sob a suspeita de integrar a "Máfia dos Concursos". No entanto, não foi a primeira vez que ele foi responsabilizado pelo crime. Em 2005, Ortiz foi detido pela Deco na Operação Gallieu.


O filho dele, Bruno de Castro Garcia Ortiz, foi preso há dois meses, assim como outros integrantes, como Rafael Rodrigues da Silva Matias e Johann Gutemberg dos Santos, sendo que este foi solto por determinação judicial e responde ao processo em liberdade.


A investigação é a segunda fase da operação Panoptes, deflagrada pela Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deco), da Policia Civil do DF. No Distrito Federal, a ação ocorre nas seguintes regiões: Recanto das Emas, Sudoeste, Vicente Pires, Guará e Águas Claras. Já na capital goiana, é coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Dercap), onde a polícia investiga fraude em concurso para delegado.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/noticias/educacao/policia-desarticula-grupo-que-visava-fraudar-enem-lucrava-com-fraudes-22008302.html

Mais Notícias

Garotinho abre guerra contra desembargador que compartilhou entrevista de Witzel

Boletos vencidos já podem ser pagos em qualquer banco

Detran mantém emplacamento após Justiça suspender adoção do novo modelo do Mercosul

Não usar cadeirinha é um risco para pais e crianças, alertam especialistas

AGORA É LEI: NORMA QUE ESTABELECE TEMPO MÁXIMO DE ESPERA EM ATENDIMENTOS BANCÁRIOS E...

Fim de semana prolongado com dois feriados

Brinquedos aquecem as vendas

'Engenheiro' misterioso usa tampas de caixas d’água em ponto de ônibus em Acari

Witzel e Paes são favoráveis a ‘testes de integridade’ sobre servidores públicos

NÍVEL DO PARAÍBA GERA PREOCUPAÇÃO

Mais da metade da Alerj foi renovada nesta eleição

Wilson Witzel e Eduardo Paes farão segundo turno para governo do Rio

Brasil: depois dos eleitores, investidores aplaudem Bolsonaro

Alerj: João Peixoto, Gil Vianna, Rodrigo Bacellar, Bruno Dauaire e Jair Bittencourt eleitos

AUXÍLIO-ADOÇÃO PARA SERVIDORES PÚBLICOS PODE SER AMPLIADO

Estado do Rio nomeia 79 papiloscopistas que aguardavam chamada para Polícia Civil

Uenf sobe 13 posições no Ranking Universitário nacional

Eleição 2018: Confira seu local votação após modificações do TRE

Juiz eleitoral de Campos orienta sobre regras para o dia da votação; confira

Facebook revela ataque virtual que atingiu 50 milhões de usuários

Há 100 anos, tomava posse a primeira mulher diplomata do país

Garotinho diz que vai recorrer hoje mesmo ao STF para manter campanha

Representantes da Firjan se reúnem com Autopista para pedir mais segurança na BR101

Após agravo de servidores, Rio tenta manter decisão do STF favorável a desconto de 14%

Estimativa para a inflação deste ano sobe para 4,28% e a do PIB cai para 1,35%

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas