Logo ASP

Notícias



Juiz nega embargos e revisa pena de ex-secretária e ex-coordenadora do Cheque Cidadão

JTV
Miguelito, Ozéias, Gisele Kock e Ana Alice Alvarenga são réus no processo Chequinho

Miguelito, Ozéias, Gisele Kock e Ana Alice Alvarenga são réus no processo Chequinho

Os vereadores Miguelito (PSL) e Ozeias (PSDB), a ex-secretária de Desenvolvimento Humano e Social de Campos, Ana Alice Alvarenga, e a ex-coordenadora do programa Cheque Cidadão, Gisele Koch tiveram embargos negados pelo juiz Ricardo Coimbra, da 76ª Zona Eleitoral (ZE), nesta terça-feira (31). Réus em ações criminais oriundas da Operação Chequinho, da Polícia Federal (PF), os quatro tiveram pena e regime de prisão fixados no dia 16 de outubro.


Sentenciadas a um ano e três meses de prisão, Ana Alice e Gisele tiveram o tempo de reclusão revisto de um ano e três meses para dois anos e nove meses em regime aberto. O magistrado alegou erro material para justificar a correção. Já as penas dos vereadores foram mantidas: cinco anos e quatro meses em regime semi-aberto.


Entre os argumentos apresentados pela defesa dos réus no recurso estão as alegadas incompetência da 100ª ZE, onde tramitaram processos da Chequinho até a incorporação à 76ª ZE por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), e nulidade do mandado de busca e apreensão expedido pela 75ª ZE, que deu origem às investigações. Coimbra, porém, desconsiderou ambos os argumentos, lembrando, inclusive, decisão anterior do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Sentenças — Além de fixar pena e regime de prisão dos réus, o magistrado decretou a perda dos mandatos de Ozeias e Miguelito, que terão, ainda, que pagar 10 dias-multa no valor de meio salário mínimo. Os vereadores, porém, não foram afastados imediatamente de seus cargos e responderão à Justiça na Câmara de Campos. Ana Alice e Gisele pagarão seis dias-multa no valor unitário de um décimo do salário mínimo e estão proibidas de exercerem cargo, função ou atividade pública, bem como mandato eletivo.


Eles são acusados de participação no esquema que trocava inscrições fraudulentas no programa Cheque Cidadão, da Prefeitura de Campos, por votos em candidatos do grupo político de Anthony Garotinho (PR) nas eleições municipais de outubro de 2016. De acordo com a sentença, Ozeias teria praticado o crime de corrupção eleitoral 956 vezes, Miguelito, 743 vezes, e Analice e Gisele, 1.619 vezes cada uma.

-------------------------------------------------
terceiraviaonline
http://www.jornalterceiravia.com.br/2017/11/01/juiz-nega-embargos-e-revisa-pena-de-ex-secretaria-e-ex-coordenadora-do-cheque-cidadao/

Mais Notícias

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão

Governo antecipa metade do 13º para aposentados e pensionistas do INSS

Justiça garante sessão extraordinária da Câmara que apreciará contas de Rosinha

Vistoria itinerante do Detran em Campos

Supremo confirma pensões para filhas de servidores civis solteiras e maiores de 21 anos

Desconto para previdência volta a ser de 11% assim que Estado do Rio for notificado de decisão

Café da Comunhão' leva a três pedidos de afastamento protocolados

Justiça determina bloqueio de R$ 22 milhões na conta da Prefeitura de Campos

Trânsito de Campos conta com agentes educadores em pontos estratégicos

Lava Jato deflagra no Rio desdobramento da ‘Operação Fatura Exposta’

Começa nesta quarta-feira 59ª ExpoAgro de Campos

Motorista de van protestam contra alteração prevista para o transporte alternativo

Júri do caso Patrícia Manhães será nesta quarta-feira

Eike Batista é condenado a 30 anos por corrupção e lavagem de dinheiro

Com quase 2 mil casos, Prefeitura decreta epidemia de Chikungunya em Campos

Supremo mantém fim do imposto sindical obrigatório

Alerj aprova reposição salarial de 5% para servidores do TJ-RJ, do MP e da Defensoria

STF manda inquéritos para Justiça Federal

AGORA É LEI: LINHAS TELEFÔNICAS DEVEM SER DESBLOQUEADAS EM ATÉ 24 HORAS APÓS PAGAMENTO

AGORA É LEI: SACOLAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS SERÃO PROIBIDAS NO ESTADO

Prédio histórico no Centro de Campos ameaça desabar e trânsito é interditado nas imediações

Lula recorre contra decisão do TRF-4 que barrou recurso ao Supremo

Campos é a única cidade do Estado a ter autódromo

Brasil pode se tornar grande exportador de petróleo, diz executivo

Servidor público federal não pode ser gerente ou administrador de empresa privada

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas