Logo ASP

Notícias



Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, diz MPF

Pablo Jacob / Agência O Globo

"Gêmeos da Federal" levaram Jorge Picciani para depor no Rio "

RIO - Documento do Ministério Público Federal (MPF) sobre a Operação Cadeia Velha, deflagrada na manhã desta terça-feira, diz que a contabilidade paralela da Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, entre 2010 e 2016, de acordo com planilha entregue pelo delator Álvaro José Novis, que serviu de base para a investigação. Entre os principais beneficiários do esquema estão alvos da ação da Polícia Federal (PF) de hoje, como o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani, e o deputado Paulo Melo, ex-presidente daquela Casa — ambos do PMDB.


Conforme a planilha, Picciani teria recebido R$ 49,96 milhões da Fetranspor. Já Paulo Melo, R$ 38,625 milhões. O documento mostra ainda o montante movimentado por outros agentes, como José Carlos Lavouras (R$ 40.473.685,00), Lélis Teixeira (R$ 1.570.000,00) e Jacob Barata (R$ 27.754.990,00). Ex-presidente do Detro, Rogério Onofre é ligado a R$ 44,1 milhões. João Augusto Monteiro, R$ 23.419.394,00. E Carlos Miranda, operador do ex-governador Sérgio Cabral, R$ 122.850.000,00.


De acordo com o documento, Paulo Melo tinha o codinome de "Pinguim". Ele teria recebido R$ 54.305.000,00 via Álvaro José Novis, sendo R$ 38,625 milhões por ordem de José Carlos Lavouras (Fetranspor). O restante, R$ 15.680.000,00, pago pelo próprio Novis, a mando de Carlos Miranda (Sérgio Cabral).


Os delatores Álvaro José Novis e Edimar afirmam ainda que os pagamentos a Paulo Melo, o "Pinguim", foram realizados principalmente à época em que ele era presidente da Alerj. No entanto, os colaboradores disseram que "houve realização de, pelo menos, mais quatro pagamentos" após esse período. O MPF diz ainda que a maior parte das entregas foi feita pela transportadora de valores Trans-Expert, que usava carros comuns blindados.


Já o atual presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, tinha o codinome "Platina" e, depois, passou a ser identificado como "Satélite". Ele teria sido o destinatário de R$ 58,58 milhões, entre julho de 2010 e julho de 2015, via Álvaro José Novis, sendo R$ 49,96 milhões a mando da Fetranspor. Os R$ 8.62 milhões restantes teriam sido a mando de Carlos Miranda (Sérgio Cabral).


CODINOMES 'GREGO' E 'MARIA MOLE'


O documento do MPF mostra ainda que o delator Álvaro José Novis, além dos pagamentos a mando da Fetranspor, também teria distribuía valores a Jorge Picciani e Paulo Melo por ordem da Odebrecht. Picciani era o "Grego". Já o ex-presidente da Alerj Paulo Melo era "Maria mole".


Excutivos da Odebrecht disseram em delação premiada que os pagamentos feitos pelo também delator Álvaro José Novis a mando da empreiteira eram realizados a pretexto de doações não contabilizadas, em razão da importância política dos deputados no partido do ex-governador Sérgio Cabral.


Os registros dos pagamentos aos dois políticos constam no sistema Drousys, que foi concebido pela Odebrecht para a contabilização paralela da propina paga pela empresa a diversos agentes públicos.


Segundo o MPF, no período de 2010 a 2011, Picciani recebeu um total de R$ 7 milhões. Desse valor, R$ 4,5 milhões foram depositados em euros no exterior.


No caso de Picciani, os pagamentos foram feitos por determinação de Fernando Migliacci e Luiz Eduardo Soares, diretores da Odebrecht. No caso de Paulo Melo foi por ordem de Leandro Azevedo na época em que o peemedebista ocupava a presidência da Alerj.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/noticias/brasil/fetranspor-movimentou-quase-350-milhoes-em-propinas-diz-mpf-22068239.html

Mais Notícias

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão

Governo antecipa metade do 13º para aposentados e pensionistas do INSS

Justiça garante sessão extraordinária da Câmara que apreciará contas de Rosinha

Vistoria itinerante do Detran em Campos

Supremo confirma pensões para filhas de servidores civis solteiras e maiores de 21 anos

Desconto para previdência volta a ser de 11% assim que Estado do Rio for notificado de decisão

Café da Comunhão' leva a três pedidos de afastamento protocolados

Justiça determina bloqueio de R$ 22 milhões na conta da Prefeitura de Campos

Trânsito de Campos conta com agentes educadores em pontos estratégicos

Lava Jato deflagra no Rio desdobramento da ‘Operação Fatura Exposta’

Começa nesta quarta-feira 59ª ExpoAgro de Campos

Motorista de van protestam contra alteração prevista para o transporte alternativo

Júri do caso Patrícia Manhães será nesta quarta-feira

Eike Batista é condenado a 30 anos por corrupção e lavagem de dinheiro

Com quase 2 mil casos, Prefeitura decreta epidemia de Chikungunya em Campos

Supremo mantém fim do imposto sindical obrigatório

Alerj aprova reposição salarial de 5% para servidores do TJ-RJ, do MP e da Defensoria

STF manda inquéritos para Justiça Federal

AGORA É LEI: LINHAS TELEFÔNICAS DEVEM SER DESBLOQUEADAS EM ATÉ 24 HORAS APÓS PAGAMENTO

AGORA É LEI: SACOLAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS SERÃO PROIBIDAS NO ESTADO

Prédio histórico no Centro de Campos ameaça desabar e trânsito é interditado nas imediações

Lula recorre contra decisão do TRF-4 que barrou recurso ao Supremo

Campos é a única cidade do Estado a ter autódromo

Brasil pode se tornar grande exportador de petróleo, diz executivo

Servidor público federal não pode ser gerente ou administrador de empresa privada

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas