Logo ASP

Notícias



Sérgio Moro bloqueia R$ 4,4 milhões de Delfim Netto

Alexandre de Oliveira/Divulgação
Valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim

Valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim

O juiz federal Sérgio Moro ordenou o bloqueio de R$ 4,4 milhões do ex-ministro da Fazenda Delfim Netto, protagonista do chamado milagre econômico da ditadura militar. O valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim nas obras da usina de Belo Monte, no Pará.


Nesta sexta-feira, 9, a Polícia Federal e a Procuradoria da República deflagraram a Operação Buona Fortuna, fase de número 49 da Lava Jato, e fizeram buscas na residência e no escritório do ex-ministro em São Paulo.


O bloqueio atinge contas de Delfim, de Luiz Apolonio Neto, seu sobrinho, que também alvo da Buona Fortuna, e de empresas de 'consultoria' do ex-ministro.


A Procuradoria requereu o bloqueio total de R$ 15 milhões de Delfim, Apolonio e as "consultorias", valor "correspondente ao total de vantagens indevidas acordadas entre Antonio Palocci Filho (ex-ministro dos Governos Lula e Dilma) e as empresas integrantes do Consórcio Construtor Belo Monte".Moro limitou o embargo a R$ 4,4 milhões, valor já rastreado pelos investigadores. "Em que pese o pedido formulado pelo Ministério Público Federal, resolvo limitar, por ora, o montante a ser constrito em relação a Antonio Delfim Netto, Luiz Appolonio Neto, e as empresas de ambos, a R$ 4.444.314,00 que teria sido o montante pago, valores brutos, em cognição sumária, às empresas de ambos pelas empreiteiras participantes do consórcio."


"O dinheiro (para Delfim) é fruto de fraudes a licitações, cartel, corrupção e lavagem de dinheiro", disse o procurador da República Athayde Ribeiro Costa.


Segundo o procurador, "o dinheiro saiu das empreiteiras Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht e J. Malucelli". A investigação aponta que Delfim recebeu os valores por meio de contratos fictícios de consultoria.


Defesas


Os advogados Fernando Araneo, Ricardo Tosto e Jorge Nemr afirmam que Delfim "não cometeu nenhum ato ilícito em qualquer tempo". "O professor Delfim Netto não ocupa cargo público desde 2006 e não cometeu nenhum ato ilícito em qualquer tempo. Os valores que recebeu foram honorários por consultoria prestada", afirma a defesa.


A reportagem fez contato com os advogados de Luiz Appolonio Neto A defesa informou que só vai se manifestar quando tiver acesso aos dados da investigação.

-------------------------------------------------
jbonline
http://www.jb.com.br/pais/noticias/2018/03/09/sergio-moro-bloqueia-r-44-milhoes-de-delfim-netto/

Mais Notícias

Temer aciona 'forças federais' para desbloquear estradas

Feira da Roça é alternativa para campistas em meio à greve do caminhoneiros

Vereadores do Rio aprovam prioridade para o pagamento dos salários dos servidores

Motoristas de Uber fazem carreata em apoio aos caminhoneiros

Aeroporto Bartolomeu Lisandro diminui voos devido a ...

Greve de caminhoneiros pode prejudicar fornecimento de água no Rio

Bloqueio na BR-040 gera congestionamento de 8 quilômetros

Greve dos caminhoneiros pode suspender serviços no município de SFI

Testemunhas por vídeo nesta quarta-feira

Greve dos caminhoneiros afeta distribuição de alimentos

Policiais Civis reforçam que categoria não pode ser descontada em 14% a Previdência

Operação prende cinco suspeitos de venda de vagas em fila de hospital de Campos

TRE barra tentativa de Garotinho anular ação

Governo decreta ponto facultativo para servidores do Rio no dia 1º de junho

Porto do Açu inicia operação com um dos maiores navios do mundo

Caixa D’água: procurador de Justiça indicado por Rosinha e Garotinho não comparece a audiência

INSS reduzirá agendamento presencial a partir do dia 21

INSS reduzirá agendamento presencial a partir do dia 21

Alta do dólar não preocupa, diz secretário do Tesouro

Brasil tem instituições fortes e não há risco à democracia, diz Moro em NY

AGORA É LEI: FRAUDE DE COMBUSTÍVEL PODE ACARRETAR CASSAÇÃO DO ICMS

Pezão decreta ponto facultativo para servidores estaduais no dia 29

Governo antecipa para sexta-feira pagamento de salário a servidores que recebem até R$ 3 mil

Caso Ana Paula: réus e testemunhas de acusação ouvidos na primeira audiência

Câmara de vereadores aprova lei que permite a mercados abrirem aos domingos

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas