Logo ASP

Notícias



Caixa D’água: procurador de Justiça indicado por Rosinha e Garotinho não comparece a audiência

reprodução
Eduardo Gussem, procurador-geral de justiça informou que nunca teve qualquer relação com o casal

Eduardo Gussem, procurador-geral de justiça informou que nunca teve qualquer relação com o casal

Três das principais testemunhas arroladas pelas defesas Anthony Garotinho (PRP) e Rosinha Garotinho (Patriota) para depoimentos na ação penal resultante da Operação Caixa D’água não compareceram às oitivas marcadas para a tarde desta quarta-feira (16), no Fórum Maria Tereza Gusmão, em Campos. Tais testemunhas, a princípio, foram desconsideradas pelo juiz da 98ª Zona Eleitoral da cidade, Ralph Manhães, mas o Supremo tribunal Federal autorizou que elas fossem ouvidas. Uma delas informou desconhecer o motivo pelo qual foi apontado como testemunha, já que nunca manteve qualquer tipo de relação com os Garotinho.


Uma dessas testemunhas é procurador-geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem. Sua assessoria informou que encaminhou ofício à 98ª Zona Eleitoral colocando-se à disposição para dar o seu depoimento pessoal por meio de carta precatória ou por videoconferência. No documento, Gussem informa sobre a impossibilidade de comparecer na data de 16 de maio por limitações de ordem médica.


“Eduardo Gussem esclarece que desconhece os motivos pelos quais foi arrolado como testemunha de defesa do casal Garotinho, no processo referente à Operação Caixa D’água. O procurador-geral de Justiça do Estado afirma que jamais manteve qualquer tipo de relacionamento com os ex-governadores Anthony e Rosinha Garotinho”, informou a assessoria do procurador-geral.


Também foi arrolado como testemunha de defesa o desembargador do Tribunal de Justiça do rio, José Carlos Paes. O desembargador informou, por telefone, que não virá a Campos e já enviou ofício com sua decisão ao juízo eleitoral responsável pela ação. Paes é presidente da 14ª Câmara Cível do TJ e vai presidir 32 processos na quarta-feira. Ele informou também que seu depoimento será feito por carta precatória.


Quem também não compareceu foi o procurador da República Eduardo El Hage.


Rosinha e Garotinho serão ouvidos pela Justiça no dia 5 de junho, às 13h. O depoimento deles seria no dia 18 de abril, mas foi adiado depois que eles chegaram ao fórum.


Caixa D’água – No dia 22 de novembro de 2017, a Polícia Federal prendeu Rosinha, Garotinho, Suledil Bernardino, Thiago Godoy, Ney Flores, Antônio Rodrigues, Fabiano Alonso e o policial civil aposentado Antônio Carlos Ribeiro. O esquema criminoso foi delatado pelo empresário André Luiz Rodrigues, o Deca à PF. Ele informou que Garotinho e seu grupo político solicitava dinheiro de empresários para financiamento de campanha eleitoral em troca de que a prefeitura de Campos – comandada pela mulher dele, Rosinha – pagaria a esses mesmos empresários os créditos que tinham com o poder público após prestação de serviços.

-------------------------------------------------
terceiravia
http://www.jornalterceiravia.com.br/2018/05/16/caixa-dagua-procurador-de-justica-indicado-por-rosinha-e-garotinho-nao-comparece-a-audiencia/

Mais Notícias

Estimativa para a inflação deste ano sobe para 4,28% e a do PIB cai para 1,35%

Importunação sexual vira crime com pena de até 5 anos de prisão

Postura notifica mais 70 proprietários para limpeza de imóveis

ARÁBIA SAUDITA TEM PRIMEIRA MULHER COMO ÂNCORA DE TELEJORNAL NOTURNO

Investimentos em novos negócios

SFI CONTRA O FECHAMENTO DO FÓRUM

Ministério Público impugna 749 candidaturas com base na Ficha Limpa

Advogados fazem ato em defesa das prerrogativas da classe

Toffoli diz que urna eletrônica é segura e defende a Lava Jato

Servidores públicos poderão reduzir jornada de trabalho

TSE autoriza apoio das forças federais em 41 municípios do Estado do Rio

Justiça nega pedido de teste de insanidade mental de agressor de Bolsonaro

Posturas faz nova notificação a donos de terrenos abandonados

Mais segurança na BR é pedida

TRF2 determina à PF condução coercitiva de Garotinho

Lei que estendia efeitos de ações judiciais a servidores é inconstitucional, reforça TJ-RJ

Justiça eleitoral afasta vereador de São Francisco de Itabapoana por 180 dias

Bombeiros concluem que Museu Nacional estava irregular quanto à segurança contra incêndio

TRF-2 mantém condenação e aumenta a pena de Garotinho por formação de quadrilha

Fogo no Museu pode ter sido causado por balão ou curto-circuito, diz ministro

Guarus Plaza Shopping: pedra fundamental é lançada nesta negunda

Seca do Paraíba é a mais longa em 85 anos

Ex-secretário de Saúde de Cabral, Sérgio Côrtes, volta a ser preso na Lava Jato

Agentes comunitários da saúde em protesto em frente à Câmara

INSS: lei garante salário-maternidade para homens em casos de adoção

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas