Logo ASP

Notícias



Alerj aprova reposição salarial de 5% para servidores do TJ-RJ, do MP e da Defensoria

Divulgação Alerj
Deputados em sessão na Alerj em 26/06/2018

Deputados em sessão na Alerj em 26/06/2018

Deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovaram a reposição salarial em 5% para os servidores do Tribunal de Justiça do Rio, do Ministério Público e também da Defensoria Pública. A recomposição salarial não vale para magistrados, promotores e defensores. Como os projetos de aumento originais foram protocolados em 2015, uma emenda acoplada à proposta mudou as redações dos projetos, fazendo os reajustes valerem a partir de setembro de 2018 - e eliminando a possibilidade de os servidores receberem valores retroativos referentes a setembro de 2015. O acordo pela aprovação dos projetos com o novo texto foi costurado em uma reunião no Colégio de Líderes da Casa, e a votação em plenário foi simbólica.


O impacto do reajuste do Ministério Público no caixa do governo, segundo cálculos da época em que o projeto foi apresentado, seria de R$ 16 milhões ao ano. Desde 2014, os servidores do MP não recebem aumento. Mas, no auge da crise, eles e os funcionários do Tribunal de Justiça não sofreram como os atrasos de pagamento, como aconteceu com a maioria dos servidores. Apesar de estar mantendo os salários em dia, o governo se encontra longe de uma situação financeira confortável: registrou uma dívida acumulada (restos a pagar) de R$ 14,9 bilhões no fim do primeiro quadrimestre deste ano e enfrenta as medidas de arrocho previstas no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), no qual o Rio ingressou para receber ajuda da União.


Especialistas, no entanto, dizem que os reajustes podem ferir os princípios da moralidade e da isonomia por beneficiar apenas duas categorias, que sequer foram as mais atingidas durante a crise.


— Esses reajustes violam o Regime de Recuperação Fiscal. Seria um descumprimento que pode levar à rescisão do acordo. Eles traduzem também uma injustiça. Se houvesse uma reposição salarial, ela deveria ser estendida a todos os servidores. Em um momento no qual as contas do governo foram rejeitadas (pelo Tribunal de Contas do Estado) por falta de aplicação na Saúde, me parece que essa decisão é temerária, injusta e viola os princípios da moralidade, da impessoalidade e da eficiência da administração pública — analisa Manoel Peixinho, professor de Direito Administrativo da PUC-Rio.


A possível concessão de um reajuste ao Poder Judiciário provocou, no início da semana, a reação do Ministério da Fazenda: o órgão afirmou que a medida fere o RRF. A maioria dos deputados, entretanto, defende que o projeto é legal, pois se trata de reposição salarial anual, dispositivo previsto na Constituição Federal e uma das exceções listadas num dos artigos do plano de socorro da União. O governador Luiz Fernando Pezão se manifestou contra o aumento para o tribunal. Sobre o projeto do MP, ele informou que vai aguardar a votação do texto.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/alerj-aprova-reposicao-salarial-de-5-para-servidores-do-tj-rj-do-mp-da-defensoria-rv1-1-22830964.html

Mais Notícias

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão

Governo antecipa metade do 13º para aposentados e pensionistas do INSS

Justiça garante sessão extraordinária da Câmara que apreciará contas de Rosinha

Vistoria itinerante do Detran em Campos

Supremo confirma pensões para filhas de servidores civis solteiras e maiores de 21 anos

Desconto para previdência volta a ser de 11% assim que Estado do Rio for notificado de decisão

Café da Comunhão' leva a três pedidos de afastamento protocolados

Justiça determina bloqueio de R$ 22 milhões na conta da Prefeitura de Campos

Trânsito de Campos conta com agentes educadores em pontos estratégicos

Lava Jato deflagra no Rio desdobramento da ‘Operação Fatura Exposta’

Começa nesta quarta-feira 59ª ExpoAgro de Campos

Motorista de van protestam contra alteração prevista para o transporte alternativo

Júri do caso Patrícia Manhães será nesta quarta-feira

Eike Batista é condenado a 30 anos por corrupção e lavagem de dinheiro

Com quase 2 mil casos, Prefeitura decreta epidemia de Chikungunya em Campos

Supremo mantém fim do imposto sindical obrigatório

STF manda inquéritos para Justiça Federal

AGORA É LEI: LINHAS TELEFÔNICAS DEVEM SER DESBLOQUEADAS EM ATÉ 24 HORAS APÓS PAGAMENTO

AGORA É LEI: SACOLAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS SERÃO PROIBIDAS NO ESTADO

Prédio histórico no Centro de Campos ameaça desabar e trânsito é interditado nas imediações

Lula recorre contra decisão do TRF-4 que barrou recurso ao Supremo

Campos é a única cidade do Estado a ter autódromo

Brasil pode se tornar grande exportador de petróleo, diz executivo

Servidor público federal não pode ser gerente ou administrador de empresa privada

Júri popular do Caso Patrícia é remarcado para o dia 4 de julho

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas