Logo ASP

Notícias



Supremo confirma pensões para filhas de servidores civis solteiras e maiores de 21 anos

Evaristo Sá / Divulgação / STF
Cármen Lúcia: decisões durante o recesso do Supremo são tomadas pela presidente da Corte

Cármen Lúcia: decisões durante o recesso do Supremo são tomadas pela presidente da Corte

Duas mulheres conseguiram liminares no Supremo Tribunal Federal (STF) para continuarem a receber as pensões por morte concedidas por serem filhas solteiras maiores de 21 anos de servidores públicos civis. Esses benefícios foram liberados com base na Lei 3.373/1958.


Por determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), os pagamentos dessas pensões tinham sido suspensos pelos órgãos de origem dos pais das beneficiárias (ministérios do Trabalho e do Planejamento). Mas as pensionistas recorreram à Justiça, e a ministra Cármen Lúcia determinou o restabelecimento dos pagamentos, pois, durante o período de recesso do STF, cabe a ela tomar as decisões mais urgentes.


Em maio deste ano, o ministro Edson Fachin já havia anulado os efeitos da decisão do TCU. O Tribunal de Contas da União defendia a revisão e o cancelamento de pensões por morte concedidas a filhas solteiras maiores de 21 anos que tivessem, atualmente, outra fonte de renda.


Entenda o problema


O problema surgiu porque o TCU fez uma auditoria na folha de pagamento de dezenas de órgãos públicos federais, em 2016, e chegou à conclusão de que havia indícios de irregularidades em 19.520 pensões por morte concedidas com base na Lei 3.373/1958.


Segundo o TCU, havia entre essas pensionistas mulheres com rendimento de emprego na iniciativa privada, que desempenhavam atividades empresariais e que até recebiam benefícios do INSS. No entendimento do órgão, nestes casos, as pensões por morte deveriam ser canceladas.


Para o ministro Fachin, no entanto, já havia uma jurisprudência no STF de que a lei que rege a concessão da pensão por morte é aquela vigente na data da morte do titular que deu origem ao benefício.


A Lei 3.373, de 1958, portanto, só autorizava a revisão da pensão se a filha solteira maior de 21 anos se casasse ou tomasse posse em cargo público permanente. A lei não previa a suspensão do pagamento se a beneficiária tivesse outra atividade profissional que lhe gerasse renda. A única exceção seria se ela ingressasse no funcionalismo.


Assim, o ministro Fachin determinou que as pensões voltassem a ser pagas. Na época, havia cerca de 215 processos no Supremo discutindo a matéria. E a decisão favorável foi estendida a todas essas pensionistas.


Caso de urgência


O restabelecimento das pensões se deu por meio de liminar, mesmo durante o recesso do Judiciário, porque esses benefícios são de natureza alimentícia.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/supremo-confirma-pensoes-para-filhas-de-servidores-civis-solteiras-maiores-de-21-anos-22874568.html

Mais Notícias

Unesco anuncia Rio como primeira Capital Mundial da Arquitetura

MP denuncia Cabral e Picciani por lavar propina

AGORA É LEI: PRESTADORES DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PASSARÃO A FORNECER PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

Propósito é construir Mercosul enxuto que continue com relevância, diz Bolsonaro

Ministério do Meio Ambiente suspende contratos por 90 dias

MP-RJ não tem dúvidas de que morte de Marielle está ligada a milícias

Saiba como motorista vai fazer autovistoria e declarar ao Detran-RJ que carro está em boas condições

Ford terá tecnologia de comunicação do veículo através de rede de celular 5G

Secretários de Witzel 'quebram' cabeça para cortar 20% de cargos ou salários

Corpo de Bombeiros do Rio tem primeira mulher piloto de helicóptero

AGORA É LEI: CARTÃO ESPECIAL DE ESTACIONAMENTO É ALTERADO

Dois brasileiros estão entre os finalistas do prêmio Global Teacher

Rosinha com outra inelegibilidade

Golpe no Instagram: casal de Campos é procurado pela polícia após lesar clientes de todo o Brasil

Garotinho fala em Rosinha candidata

Vídeo: acidente derruba árvore que cai sobre restaurante

Onyx usa empresa de amigo para receber verba de gabinete, afirma jornal

Governo estuda privatizar ou liquidar 100 estatais, diz ministro

Presidência tem a porta aberta para toda a sociedade, diz ministro

Porto do Açu terá aeroporto

Marco Aurélio determina soltura de condenados em 2ª instância

Campos vence prêmio de boas práticas do TCE/RJ em duas categorias

Brasil gasta R$ 725 bilhões com servidores públicos da ativa, mais de 10% do PIB

TRE-RJ diploma governador, senadores e deputados

Suspeito ligado a Orlando de Curicica, apontado por envolvimento no caso Marielle, é preso

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas