Logo ASP

Notícias



Setor sulcroalcooleiro comemora boa produção

Rodrigo Silveira
Safra 2018 da Coagro

Safra 2018 da Coagro

Diferentemente de outros anos, a safra sucroalcooleira de 2018 na Cooperativa Agroindustrial do Estado do Rio de Janeiro (Coagro) será destinada principalmente ao etanol, com perspectiva de 70% da produção, enquanto o açúcar representará 30%. Os produtores do Norte Fluminense comemoram a melhor safra dos últimos quatro anos e querem aproveitar para recuperar os prejuízos das safras passadas. A Coagro vai moer em torno de 1,3 milhão de toneladas, expectativa de uma safra 30% maior que a do ano passado, graças às chuvas que caíram no período certo e bem distribuídas. A safra sucroalcooleira mantém outro ponto positivo com a geração de empregos na região.


Em toda a região está acontecendo a recuperação de áreas, um estímulo do tempo chuvoso que fez com que os agricultores plantassem mais. Esse foi o caso do produtor Paulo Silva, que tem uma plantação de cana no Carvão. Ele informou que neste ano a produção foi boa e, consequentemente, o lucro também será.


— Estamos com uma expectativa muito boa de finalmente termos lucro. Estamos plantando mais e a cana está mais vistosa e a sacarose bem maior. Desde 2014 que não tínhamos uma produção tão boa, graças às chuvas que caíram bem distribuídas. Tivemos um período muito grande de prejuízo e muitos produtores não estavam mais confiando na cultura da cana e resolveram investir em outras plantações. Espero que, com essa boa colheita, os que abandonaram o cultivo da cana retornem — informou.


O ano de 2018 é visto como o de recuperação do setor sucroenergético, que na região é mantido pelo plantio de cana-de-açúcar e três usinas em pleno funcionamento (Coagro, Paraíso e Cana Brava). A Coagro é a única que vai produzir açúcar, mesmo assim, um percentual bem menor do que nos anos passados. O presidente da Coagro, Frederico Paes, informou que depois de quatro longos anos de seca finalmente o setor terá uma safra com boa colheita.


— A safra deste ano vai ser mais curta, porém, mais produtiva. Este ano tivemos um período bom de chuva bem distribuída. A cana é um vegetal e precisa de chuva regularmente e agora, no período da colheita, em que precisamos do período seco, também estamos com sorte. Está tudo fluindo para uma safra proveitosa, ou seja, a cana está com uma sacarose boa e teremos uma produção em torno de 1,3 milhão de toneladas em toda a região. Mas a opção foi por uma safra alcooleira. O preço do açúcar está baixo no mercado internacional, mesmo assim, nós da Coagro vamos produzir o açúcar. A produção mundial está com excedente e o preço em queda. As vendas do hidratado no mercado interno começaram aquecidas desde o início da safra, o que justifica a priorização do combustível — informou.


Distribuição da chuva ajuda a cultivar a cana


Há quatro anos que a região não contava com chuva para a produção da cana-de-açúcar. Em 2014 choveu muito pouco, foram 560 milímetros, um período considerado difícil para os produtores, que amargaram um prejuízo incalculável. Em 2015, o volume subiu um pouco: foram 814 milímetros de chuva. Já em 2016, choveu 900 milímetros e em 2017, foram 1.300 milímetros, uma recuperação considerável.


Diante disso, o cenário começou a dar sinal de vida. Dois mil hectares novos foram plantados e que vão refletir na safra do próximo ano. Segundo Frederico, a chuva bem distribuída e a qualidade do produto têm sido tão positivas que a cooperativa cedeu 20 mil toneladas de semente para serem doadas aos cooperados.


— O período de chuva bem distribuída na região foi, para nós, o melhor de todos os tempos, nem mais nem menos e, por isso, tivemos uma cana de muita qualidade e não podemos deixar os nossos cooperados sem essa semente. Primamos pela qualidade do produto e com certeza nos dará lucro na próxima safra, em 2019 — finalizou o presidente da Coagro.  


Saldo positivo na geração de empregos


O setor sucroenergético foi responsável pelo saldo positivo de empregos em Campos e em São Francisco de Itabapoana. Os dados foram confirmados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que registrou em todo o estado do Rio de Janeiro um saldo líquido melhor em relação ao ano passado. O saldo líquido foi de 2.625 vagas contra, entre janeiro e junho de 2017, 1.651 vagas. Uma recuperação do setor que tem uma estimativa de recursos em torno de R$ 45 milhões, que serão empregados na economia local. Este ano foram três mil empregos diretos e indiretos na safra. Apesar de ter encolhido nos últimos anos, o setor sucroalcooleiro ainda se mostra importante para a economia da cidade.


Em São Francisco de Itabapoana, o Caged mostra que o início da safra também impactou positivamente as estatísticas da cidade, porque lá a economia é fundamentalmente agropecuária. Em junho, o saldo líquido foi positivo em 654 e até junho, no primeiro semestre, 935. Também houve um crescimento em relação ao ano passado em torno de 30%.


— A região é muito carente de emprego e numa época difícil como a que o Brasil passa o setor gerar emprego e renda é um saldo muito positivo. Certo que é uma mão de obra sazonal, mas com certeza muito importante para o trabalhador. O que está colaborando é o excelente resultado relativo em junho de emprego associado à safra agrícola. — informou Frederico.

-------------------------------------------------
folha1
http://www.folha1.com.br/_conteudo/2018/08/economia/1237233-setor-sucroalcooleiro-comemora-boa-producao.html

Mais Notícias

Justiça decide que Detran pode cobrar taxa para licenciamento de veículos

Prefeitura publica nova data para licitação do Autódromo de Deodoro

Ex-secretário da Casa Civil do Rio, Régis Fichtner é preso pela PF

Velório de Bibi Ferreira no Theatro Municipal será aberto ao público

Termina nesta quinta-feira prazo de inscrição para o Fies

Anvisa proíbe venda de lotes de frango da Perdigão

Vale sabia de riscos em Brumadinho e projetou até número de mortes

Réu na Lava Jato, Collor presta depoimento no STF

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo

Vereador em São Francisco de Itabapoana, Jarédio Azevedo é preso em Campos

Juiz Heitor Campinho assume cargo como diretor do Fórum de Campos

Justiça do Rio condena Pezão a perda dos direitos políticos por 5 anos e multa por irregularidades na Saúde

Órgãos de segurança farão hoje vistoria detalhada no Ninho do Urubu

Boechat, um jornalista de estilo próprio marcado pelo humor ácido

“Pretendo convocar 190 servidores aprovados no último concurso”, diz presidente do TJRJ

MPRJ recorre da decisão que livra Estado do Rio da responsabilidade por lotação em unidade prisional em Campos

Multa trabalhista da Prefeitura será revertida para reforma da 146ª DP

Sobe para seis o número de mortos devido ao temporal no Rio

Temperatura média da Terra em 2018 foi a 4ª mais alta já registrada

Veja os 5 carros híbridos mais sustentáveis à venda no Brasil em 2019

Instituto Inhotim, em Brumadinho, vai reabrir no próximo sábado

Corrupção e lavagem de dinheiro. Lula da Silva condenado a 12 anos de prisão

Alcolumbre pede investigação de fraude da eleição da Mesa

Alunos da Firjan Senai Campos participam do projeto Cubes in Space em parceria com NASA

Letalidade policial pode subir com proposta de Moro, apontam especialistas

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas