Logo ASP

Notícias



TSE abre debate sobre proibição de campanha em templos religiosos

A pouco mais de um mês das eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abre o debate sobre a possível punição de candidatos que se utilizam de espaços religiosos para campanhas políticas.


A cassação dos mandatos do deputado federal Franklin Roberto Souza (PP-MG) e do deputado estadual Márcio José Oliveira (PR-MG), confirmada pelo TSE, levantou a discussão sobre abuso do poder religioso, que não está previsto na legislação, mas é suscitado na esteira do abuso do poder econômico.


No julgamento dos parlamentares mineiros, o ministro Jorge Mussi citou a decisão de abril do ano passado, que proíbe campanha em eventos religiosos. Na ocasião, o relator foi ex-ministro Henrique Neves, que ressaltou que a liberdade religiosa não pode ser utilizada para fins políticos.


Diz a decisão de Henrique Neves que, "em nenhuma hipótese, a proteção constitucional à livre manifestação de crença e à liberdade religiosa permite que tais celebrações convertam-se em propaganda, seja mediante pedido de voto, distribuição de material de campanha, uso de sinais, símbolos, logotipos ou ainda manifestações contra ou a favor de candidatos".


Além de perder o mandato por abuso do poder econômico, praticado nas eleições de 2014, os dois deputados foram punidos com inelegibilidade por oito anos.


Os ministros determinaram a imediata execução da decisão, com o afastamento dos políticos cassados e a posse dos suplentes, sendo desnecessário aguardar o trânsito em julgado da decisão.


Exemplo


O TSE confirmou o julgamento do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), que condenou os deputados por terem participado de evento religioso da Igreja Mundial do Poder de Deus, na véspera do primeiro turno das eleições de 2014.


No evento, que reuniu cerca de 5 mil pessoas, o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da igreja, pediu votos para os dois no microfone e em panfletos distribuídos.


Segundo a denúncia, o líder religioso pediu que cada fiel conseguisse “mais dez votos” para os candidatos. O deputado estadual é sobrinho do religioso. Para a presidente do TSE e relatora do processo, ministra Rosa Weber, os fatos relatados são de "enorme gravidade". O evento foi amplamente divulgado, durou cerca de quatro horas e teve shows artísticos.


O advogado Rodrigo Queiroga, da defesa dos dois deputados, disse que irá recorrer da decisão ao próprio TSE, com embargos de declaração, e, posteriormente, ao Supremo Tribunal Federal (STF), com recurso extraordinário. A ideia é conseguir descaracterizar o abuso de poder econômico para evitar que ambos sejam inelegíveis. Franklin registrou candidatura à reeleição, mas Márcio não. 

-------------------------------------------------
agenciabrasilonline
http://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2018-08/tse-abre-debate-sobre-proibicao-de-campanha-em-templos-religiosos

Mais Notícias

O gestor da Nova Canabrava

Leilão do Jóquei é mantido pela Justiça Federal mas Vila Hípica fica de fora

Em depoimento ao MPF, candidata do PSL confirma que foi \\\'laranja\\\' a pedido de ministro

Prefeitura começa a demolir dois prédios vizinhos aos que desabaram na Muzema

Ação contra Bruno e Wladimir tem parecer

BR-101 terá operação especial nesta Páscoa e expectativa de mais de 515 mil veículos

Ex-presidente do Peru se suicida após receber ordem de prisão no caso Odebrecht

Governo do estado decreta ponto facultativo na véspera do feriado de São Jorge

Aprovação do projeto que liberava porte de armas para deputados e Degase é cancelada

José Maria Marin é banido do futebol e pagará multa de R$ 3,2 milhões

Ao menos duas pessoas morrem e quatro ficam feridas em desabamento de prédios na Muzema

PF faz operação contra esquema criminoso que superfaturava pedágios

AGORA É LEI: ESTADO DO RIO CRIA NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO

Depois das enchentes, Crivella libera R$ 86,9 milhões para obras

Empresa desiste de embargo e obras do Palácio da Cultura serão retomadas

Governo federal diz que Prefeitura do Rio deixou de usar recursos do PAC para contenção de...

Crivella descarta estado de emergência e atribui parte dos problemas com chuva...

TSE cassa direitos políticos de Pezão e Dornelles

Veja o que acontece em caso de impeachment de Crivella

Pistola é roubada na maior feira de Segurança da América Latina

Ministro do Turismo quer reduzir o preço das passagens aéreas

Flamengo empata no fim, vence o Vasco nos pênaltis e conquista a Taça Rio

Ex-treinador da seleção brasileira de ginástica é banido do esporte

Brownie

Tributarista de Campos é nomeado por Witzel para coordenar Comissão de Reforma Tributária no estado

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas