Logo ASP

Notícias



Fachin nega pedido para suspender ação penal de Lula em caso Odebrecht

AFP photo/ Mauro Pimentel
Para a defesa de Lula, Moro não poderia dar andamento a mais uma ação penal contra o ex-presidente ao mesmo tempo em que tem sua imparcialidade julgada na ONU

Para a defesa de Lula, Moro não poderia dar andamento a mais uma ação penal contra o ex-presidente ao mesmo tempo em que tem sua imparcialidade julgada na ONU

Brasília - O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou uma liminar (decisão provisória) pedida pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva para que fosse suspensa uma das ações penais em que o ex-presidente é acusado pelo suposto recebimento de propina da empresa Odebrecht. O caso está sob responsabilidade do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.


No pedido, os advogados de Lula argumentaram que uma decisão do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) recomendou que o Brasil não pratique nenhum ato que embarace a conclusão do processo aberto no órgão internacional sobre suposta irregularidades cometidas por Moro contra o ex-presidente.


Para a defesa de Lula, Moro não poderia dar andamento a mais uma ação penal contra o ex-presidente ao mesmo tempo em que tem sua imparcialidade julgada na ONU.


Na decisão assinada na segunda-feira, Fachin entendeu que a recomendação do órgão multilateral não se aplica ao caso. O ministro escreveu que “quanto às alegações atinentes ao comitê da ONU, como citado, a matéria não se enfeixa em exame preambular atinente ao campo especificamente da seara penal”.


Em setembro, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), considerou, por 6 a 1, que uma outra recomendação da ONU, para que fosse garantidos os direitos políticos de Lula, não vincularia a Justiça Eleitoral brasileira e julgou o ex-presidente inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Também ministro do TSE, Fachin foi o único a votar na ocasião de modo favorável ao ex-presidente.


Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre a pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP). A condenação foi confirmada pela segunda instância da Justiça Federal, o que levou o TSE a enquadrar o ex-presidente na Lei da Ficha Limpa. Ele recorre às instâncias superiores contra a condenação.

-------------------------------------------------
odiaonline
https://odia.ig.com.br/brasil/2018/10/5588122-fachin-nega-pedido-para-suspender-acao-penal-de-lula-em-caso-odebrecht.html

Mais Notícias

MP denuncia Cabral e Picciani por lavar propina

AGORA É LEI: PRESTADORES DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PASSARÃO A FORNECER PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

Propósito é construir Mercosul enxuto que continue com relevância, diz Bolsonaro

Ministério do Meio Ambiente suspende contratos por 90 dias

MP-RJ não tem dúvidas de que morte de Marielle está ligada a milícias

Saiba como motorista vai fazer autovistoria e declarar ao Detran-RJ que carro está em boas condições

Ford terá tecnologia de comunicação do veículo através de rede de celular 5G

Secretários de Witzel 'quebram' cabeça para cortar 20% de cargos ou salários

Corpo de Bombeiros do Rio tem primeira mulher piloto de helicóptero

AGORA É LEI: CARTÃO ESPECIAL DE ESTACIONAMENTO É ALTERADO

Dois brasileiros estão entre os finalistas do prêmio Global Teacher

Rosinha com outra inelegibilidade

Golpe no Instagram: casal de Campos é procurado pela polícia após lesar clientes de todo o Brasil

Garotinho fala em Rosinha candidata

Vídeo: acidente derruba árvore que cai sobre restaurante

Onyx usa empresa de amigo para receber verba de gabinete, afirma jornal

Governo estuda privatizar ou liquidar 100 estatais, diz ministro

Presidência tem a porta aberta para toda a sociedade, diz ministro

Porto do Açu terá aeroporto

Marco Aurélio determina soltura de condenados em 2ª instância

Campos vence prêmio de boas práticas do TCE/RJ em duas categorias

Brasil gasta R$ 725 bilhões com servidores públicos da ativa, mais de 10% do PIB

TRE-RJ diploma governador, senadores e deputados

Suspeito ligado a Orlando de Curicica, apontado por envolvimento no caso Marielle, é preso

Material escolar deve ficar 10% mais caro em janeiro, diz associação

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas