Logo ASP

Notícias



Regras sobre teto salarial no serviço público devem ser votadas na Câmara nesta 3ª feira

Will Shutter / Divulgação / Câmara dos Deputados
O deputado Rubens Bueno restringiu as verbas que poderão ultrapassar o teto constitucional

O deputado Rubens Bueno restringiu as verbas que poderão ultrapassar o teto constitucional

O projeto que regulamenta o teto salarial do funcionalismo público deverá ser analisado pela comissão especial da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, dia 27. O objetivo é votar o parecer do relator, deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que prevê detenção de dois a seis anos para o gestor público que autorizar o pagamento acima do teto e fora das exceções previstas pela Constituição e pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).


O teto remuneratório do serviço público corresponde ao subsídio pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal, que atualmente é de R$ 33.763. No início de novembro, o Senado aprovou uma correção de 16% para os integrantes do STF, o que elevará o teto para R$ 39.200. A proposta ainda precisa ser sancionada pelo presidente Michel Temer.


Algumas categorias, hoje, recebem valor acima do total por incorporarem aos salários gratificações e outras verbas especiais.


Para criar regras sobre o assunto, o relator Rubens Bueno listou em seu parecer 24 verbas que não seriam consideradas para o teto, incluindo 13º salário, adicional de férias e auxílio-funeral, além de indenização de despesas relacionadas aos mandatos eletivos, aviso prévio e auxílio-alimentação.


Também ficariam de fora do teto a indenização de transporte para quem usa carro próprio no trabalho e a ajuda de custo para o militar que se aposenta.


Polêmica do auxílio-moradia


O texto do relator ainda estabelece um limite para o pagamento do auxílio-moradia aos servidores. Esse benefício acima do teto hoje é permitido, mas tem sido alvo de muita polêmica.


De acordo com o substitutivo de Bueno, o funcionário receberia o valor desde que estivesse no exercício de suas atribuições em uma localidade diferente de seu domicílio legal; não tivesse residido na localidade nos últimos 12 meses; não houvesse imóvel funcional disponível no local de trabalho; e o trabalhador não convivesse com uma pessoa residente em imóvel funcional ou que recebesse o mesmo pagamento.


Além disso, o relator propôs que, se o servidor tivesse direito ao auxílio-moradia em razão de mudança do local de residência, ele recebesse o benefício por apenas 12 meses.


Para quem vale o teto remuneratório


O teto remuneratório se aplica a todos os agentes públicos, de presidente da República aos vereadores, passando por juízes, procuradores, servidores civis e militares, funcionários de estatais e consórcios públicos, e até terceirizados do setor público. A regra abrange as três esferas administrativas (federal, estadual e municipal) e todos os poderes.


Segundo o relator, estabelecer um limite para as verbas que poderão ser pagas além do teto salarial deve gerar uma economia de R$ 2,3 bilhões.


A análise do projeto que regulamenta o teto salarial do funcionalismo na comissão especial deveria ter acontecido em outubro, mas foi adiada.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/regras-sobre-teto-salarial-no-servico-publico-devem-ser-votadas-na-camara-nesta-3-feira-23260466.html

Mais Notícias

Justiça decide que Detran pode cobrar taxa para licenciamento de veículos

Prefeitura publica nova data para licitação do Autódromo de Deodoro

Ex-secretário da Casa Civil do Rio, Régis Fichtner é preso pela PF

Velório de Bibi Ferreira no Theatro Municipal será aberto ao público

Termina nesta quinta-feira prazo de inscrição para o Fies

Anvisa proíbe venda de lotes de frango da Perdigão

Vale sabia de riscos em Brumadinho e projetou até número de mortes

Réu na Lava Jato, Collor presta depoimento no STF

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo

Vereador em São Francisco de Itabapoana, Jarédio Azevedo é preso em Campos

Juiz Heitor Campinho assume cargo como diretor do Fórum de Campos

Justiça do Rio condena Pezão a perda dos direitos políticos por 5 anos e multa por irregularidades na Saúde

Órgãos de segurança farão hoje vistoria detalhada no Ninho do Urubu

Boechat, um jornalista de estilo próprio marcado pelo humor ácido

“Pretendo convocar 190 servidores aprovados no último concurso”, diz presidente do TJRJ

MPRJ recorre da decisão que livra Estado do Rio da responsabilidade por lotação em unidade prisional em Campos

Multa trabalhista da Prefeitura será revertida para reforma da 146ª DP

Sobe para seis o número de mortos devido ao temporal no Rio

Temperatura média da Terra em 2018 foi a 4ª mais alta já registrada

Veja os 5 carros híbridos mais sustentáveis à venda no Brasil em 2019

Instituto Inhotim, em Brumadinho, vai reabrir no próximo sábado

Corrupção e lavagem de dinheiro. Lula da Silva condenado a 12 anos de prisão

Alcolumbre pede investigação de fraude da eleição da Mesa

Alunos da Firjan Senai Campos participam do projeto Cubes in Space em parceria com NASA

Letalidade policial pode subir com proposta de Moro, apontam especialistas

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas