Logo ASP

Notícias



Queiroz diz ao MP que usava salários para 'multiplicar base eleitoral' de Flávio Bolsonaro

Reprodução / Facebook

Investigado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeira (Coaf) há três meses, que apontou "movimentações atípicas" em suas contas, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL) na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) Fabrício Queiroz admitiu em depoimento por escrito ao Ministério Público que fazia o "gerenciamento" de valores recebidos por servidores do gabinete do então deputado, assim como coordenava "os trabalhos e demandas" para expandir as redes de contato e de colaboradores do parlamentar.


Queiroz afirmou ainda que, por ter a confiança e autonomia dadas por Flávio Bolsonaro, nomeva assistentes no gabinete por julgar certo que era a melhor maneira de "intensificar a atuação política seria a multiplicação dos assessores da base eleitoral", gerenciando os valores que cada um destes recebia mensalmente, sem precisar dar satisfações a Flávio sobre a "arquitetura interna do mecanismo que criou". E que seus superiores não tinham qualquer conhecimento de sua atuação.


Esta é a primeira vez que Queiroz se manifesta à Justiça sobre o assunto após sucessivos pedidos feitos pelo MP-RJ, sempre com a jutificativa de que passa por tratamento de saúde para combater um câncer. O depoimento de Queiroz foi revelado pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e SBT. A assessoria de Flávio Bolsonaro afirmou que não irá se manifestar sobre o depoimento de seu ex-assessor.


Sobre a movimentação de R$ 1,2 milhão apontados pelo Coaf como "atípicas", Queiróz afirmou que recebeu metade deste valor a partir de depósitos realizados por seus familiares e que há duas origens econômicas, "inteiramente lícitas", desses créditos.


A primeira está na ideia "de ser pai de família grande" e por ser conservador "insiste em administrar o essencial das finanças do seu núcleo familiar" e assim recebia também em sua conta os rendimentos do trabalho de sua mulher e de seus filhos.


Já a segunda, afirma Queiroz, está em atividades informais com desempenhos profissionais como segurança particular, compra e venda de veículos e eletroeletrônicos, vestuário, intermediação de imóveis, e "todo e qualquer outro produto que pudesse lhe garantir uma renda extra".


Sobre a suspeita do MP-RJ de que o ex-assessor recolhia o dinheiro para si próprio ou para entregar ao então deputado, hoje senador, Queiróz diz que jamais se beneficiou "de qualquer recurso público "para si ou para terceiro.


Desde que o relatório do Coaf veio a público, revelandomovimentações financeiras suspeitas entre o ex-assessor e a família do presidente eleito Jair Bolsonaro , uma série de dúvidas surgiram, levando o futuro presidente, seus filhos, alguns de seus ministros e até sua mulher, a primeira-dama Michelle, a apresentar explicações para o trânsito de dinheiro entre Queiroz e o clã presidencial.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/noticias/brasil/queiroz-diz-ao-mp-que-usava-salarios-para-multiplicar-base-eleitoral-de-flavio-bolsonaro-23491775.html

Mais Notícias

Empresa direcionou mais de R$ 10,8 milhões para o ex-presidente Michel Temer

Lava-Jato prende ex-presidente Michel Temer, Moreira Franco e operadores

Adolescente que planejava ataque a escola do Rio enviou mensagem dizendo integrar seita

Marielle é homenageada em murais de grafite ao redor do mundo

Tragédia em Suzano provoca consternação, autoridades se manifestam

Obra de modernização do aeroporto de Macaé é inaugurada

Prefeitura do Rio dará reajuste a quase 25 mil servidores de empresas públicas

Witzel diz que presos por assassinato de Marielle e Anderson poderão fazer delação premiada para apontar mandante

Programa de distribuição de óculos vai ser redirecionado a estudantes

Venda de 46 planos de saúde está proibida a partir de hoje

No Dia Internacional da Mulher, acordo quer proteger mulheres de agressores

Violência doméstica é ato de covardia e precisa ser coibida, diz Moro

Blog dos Jornalistas: PGR pede prisão imediata de Paulo Feijó

Previdência: Bolsonaro pede sacrifício aos militares

DIÁRIO OFICIAL DO LEGISLATIVO DEIXARÁ DE SER IMPRESSO

Moradores do Volare aguardam autorização da defesa Civil para retornarem

INSS antecipa pagamento de benefícios a moradores de Brumadinho

MP entra com ação na Justiça para interditar Sambódromo às vésperas dos desfiles

PISO REGIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERÁ REAJUSTE DE 3,75%

Delações da OAS revelam pagamentos milionários a Cabral, Paes, Aécio, Serra e outros 17 políticos

Câmeras de reconhecimento facial começam a funcionar em Copacabana

Mais detalhes do Peugeot 208 foram revelados antes do Salão de Genebra 2019

Mourão defende volta da democracia na Venezuela sem “medida extrema”

STF julga na quarta-feira possibilidade de redução de salário e de jornada de servidores

Butantan vai doar 1 milhão de doses de vacina para a Venezuela

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas