Logo ASP

Notícias



Witzel afirma que não retomará hospitais municipalizados: 'De jeito nenhum'

Gabriel Paiva / Agência O Globo
O prefeito Marcelo Crivella, o presidente do STF, Dias Toffoli, e o governador Wilson Witze

O prefeito Marcelo Crivella, o presidente do STF, Dias Toffoli, e o governador Wilson Witze

RIO — O governador Wilson Witzel afirmou que não vai retomar os hospitais Rocha Faria, Albert Schweitzer e Pedro II, municipalizados nos últimos anos. Essa hipótese foi mencionada pelo prefeito Marcelo Crivella como uma contrapartida para o estado assumir a administração do Sambódromo, hoje com a prefeitura. Os dois participaram do seminário Transparência e Combate à Corrupção, nessa segunda, no Museu do Amanhã, na Zona Portuária.


Após o painel de abertura do evento, ambos saíram sem falar com a imprensa. Crivella chegou a literalmente correr no saguão do museu. Já o governador deu uma resposta curta sobre a negociação de retomada do sambódromo, objetivo anunciado por ele ainda durante o carnaval. Na semana passada, ele afirmou que estava finalizando um documento de comunicação da decisão ao prefeito.


— Darei mais informações em breve — afirmou o governador.


Indagado, então, sobre a condição de retomar os hospitais municipalizados — O Rocha Faria e Albert Schweitzer foram municipalizados há três anos, o Pedro II há nove — , ele foi mais objetivo:


— De jeito nenhum.


Durante o painel, Crivella e Witzel fizeram breves discursos em que louvaram o combate à corrupção, com referências à Lava-Jato e às últimas eleições. O governador afirmou que assumiu um estado "destruído pela corrupção".


— Recebemos o Rio com R$8 bilhões de déficit fiscal, R$17 bilhões de restos a pagar de forma inconsequente e R$150 bilhões de dívidas com a União e bancos internacionais. Mas estamos trabalhando, cortamos 30% de todos os contratos e fizemos várias auditorias — disse Witzel.


O governador ainda prometeu apresentar projeto de "fortalecimento da Controladoria Geral do Estado" no prazo em que se completam 100 dias da gestão. Como já havia anunciado antes, o governador pretende aplicar um teste de integridade no funcionalismo público.


Ele também destacou o fim da Secretaria de Segurança Pública, com o objeto, segundo ele, de acabar com a interferência politica na Polícia Militar.


— Hoje, mais do que a corrupção, o que mais nos atinge é no tráfico de armas e a lavagem de dinheiro do crime organizado. Por isso precisamos de uma polícia preparada e aparelhada, incluindo a polícia judiciária, que precisava de um efetivo de 25 mil, mas só tem 9 mil.


Crivella disse que as últimas eleições "mostraram que o Rio não suporta mais corrupção". Ele afirmou orar a Deus para que não nos transformemos numa sociedade de barbárie e ódio e defendeu uma atenção às empresas acusadas de corrupção.


— Se tivermos que punir os empresários, que não se punam as empresas. Falo como engenheiro. Se não a atividade econômica é paralisada.

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/noticias/rio/witzel-afirma-que-nao-retomara-hospitais-municipalizados-de-jeito-nenhum-23548293.html

Mais Notícias

Ação contra Bruno e Wladimir tem parecer

BR-101 terá operação especial nesta Páscoa e expectativa de mais de 515 mil veículos

Ex-presidente do Peru se suicida após receber ordem de prisão no caso Odebrecht

Governo do estado decreta ponto facultativo na véspera do feriado de São Jorge

Aprovação do projeto que liberava porte de armas para deputados e Degase é cancelada

José Maria Marin é banido do futebol e pagará multa de R$ 3,2 milhões

Ao menos duas pessoas morrem e quatro ficam feridas em desabamento de prédios na Muzema

PF faz operação contra esquema criminoso que superfaturava pedágios

AGORA É LEI: ESTADO DO RIO CRIA NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO

Depois das enchentes, Crivella libera R$ 86,9 milhões para obras

Empresa desiste de embargo e obras do Palácio da Cultura serão retomadas

Governo federal diz que Prefeitura do Rio deixou de usar recursos do PAC para contenção de...

Crivella descarta estado de emergência e atribui parte dos problemas com chuva...

TSE cassa direitos políticos de Pezão e Dornelles

Veja o que acontece em caso de impeachment de Crivella

Pistola é roubada na maior feira de Segurança da América Latina

Ministro do Turismo quer reduzir o preço das passagens aéreas

Flamengo empata no fim, vence o Vasco nos pênaltis e conquista a Taça Rio

Ex-treinador da seleção brasileira de ginástica é banido do esporte

Brownie

Tributarista de Campos é nomeado por Witzel para coordenar Comissão de Reforma Tributária no estado

Presidente do Goytacaz conduzido à DP após fiscalização em postos de combustíveis

Rede Assaí vai se instalar em Campos até julho e deverá gerar no mínimo 300 empregos

Petrobras altera política de preço do diesel e anuncia 'cartão caminhoneiro'

Empresa direcionou mais de R$ 10,8 milhões para o ex-presidente Michel Temer

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas