Logo ASP

Notícias



Janot diz que foi armado ao STF para matar Gilmar Mendes

Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil / Antonio Cruz/Arquivo Agência Brasil
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chega para sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF)  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chega para sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chega para sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF)

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot disse na noite de ontem (26), em entrevista a diversos veículos de comunicação, que chegou a ir armado com um revólver ao Supremo Tribunal Federal (STF) com a intenção de matar o ministro Gilmar Mendes e depois se suicidar. Nesta sexta-feira (27), Mendes divulgou uma nota em que se diz surpreso e recomenda que o ex-PGR “procure ajuda psiquiátrica”.


Os dois protagonizaram um longo embate enquanto Janot ocupou o cargo, entre 2013 e 2017, com trocas constantes de críticas públicas. O ex-PGR disse ter, porém, chegado a um limite em 2017 quando o ministro envolveu sua filha em uma das pendengas.


O episódio é narrado por Janot no livro que lança esta semana, Nada Menos que Tudo, porém sem citar o nome de Gilmar Mendes. O ex-PGR, entretanto, resolveu agora revelar a quem se referia.


“Num dos momentos de dor aguda, de ira cega, botei uma pistola carregada na cintura e por muito pouco não descarreguei na cabeça de uma autoridade de língua ferina que, em meio àquela algaravia orquestrada pelos investigados, resolvera fazer graça com minha filha”, escreve Janot no livro.


Segundo o ex-PGR, ao encontrar o ministro sozinho na antessala do plenário do Supremo, antes de uma das sessões, chegou a sacar uma pistola, mas não puxou o gatilho somente porque “a mão invisível do bom senso tocou no meu ombro e disse: não”.


O episódio ocorreu em 2017, depois de Janot ter pedido ao Supremo que considerasse Mendes suspeito para julgar um habeas corpus de Eike Batista. O argumento era que a esposa do ministro, Guiomar Mendes, trabalhava em um escritório de advocacia que prestava serviços ao empresário.


Em seguida, circulou na imprensa a informação de que a filha de Janot, Letícia Ladeira Monteiro de Barros, defendia a empreiteira OAS, envolvida na Lava Jato, em processos no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O ex-PGR atribuiu a divulgação da informação a Mendes e, por isso, cogitou matá-lo, segundo o relato.


“Confesso que estou algo surpreso. Sempre acreditei que, na relação profissional com tão notória figura, estava exposto, no máximo, a petições mal redigidas, em que a pobreza da língua concorria com a indigência da fundamentação técnica. Agora ele revela que eu corria também risco de morrer”, escreveu Gilmar Mendes em nota divulgada nesta sexta.


O ministro lamentou que “por um bom tempo, uma parte do devido processo legal no país ficou refém de quem confessa ter impulsos homicidas”.


“Se a divergência com um ministro do Supremo o expôs a tais tentações tresloucadas, imagino como conduziu ações penais de pessoas que ministros do Supremo não eram. Afinal, certamente não tem medo de assassinar reputações quem confessa a intenção de assassinar um membro da Corte Constitucional do País”, acrescentou o ministro. “Recomendo que procure ajuda psiquiátrica”, concluiu.

-------------------------------------------------
agenciadenoticiasonline
http://agenciabrasil.ebc.com.br

Mais Notícias

Campanha de doação de medula mobiliza pessoas na corrida Federal kids

CNJ começa a julgar Glaucenir por áudio sobre Gilmar Mendes

Caso Marielle: Réu criou empresa na região do crime em área da prefeitura...

Pós-Graduação da UENF tem inscrições abertas a partir desta segunda

AGORA É LEI: ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES TERÃO QUE CADASTRAR OS RESPONSÁVEIS POR RETIRAR ALUNOS

Defensoria Pública tem 30 dias para justificar reajuste de vale-transporte de servidores

Bolsonaro diz que não pretende acabar com estabilidade de servidor

CNJ condena 21 magistrados que cobraram de R$ 750 a R$ 400 mil por sentença

MEC destina maior parte de verba desbloqueada para universidades

WHATSAPP ELIMINA 1,5 MILHÃO DE CONTAS DE USUÁRIOS BRASILEIROS

Eike é condenado por manipulação de mercado e uso de informações privilegiadas

Mudanças no Ministério Público

Em Brasília, Rafael fala sobre contorno da BR 101

COMPANHIAS AÉREAS SEGUEM AUTORIZADAS A COBRAR POR BAGAGEM APÓS DECISÃO DO CONGRESSO

PROJETO AUTORIZA VOLTA DA “GERAL” NO MARACANÃ

Secretário de Fazenda do Rio garante pagamento de 13º salário dos servidores em dezembro

União estabelece datas de recesso de fim de ano para servidores federais

ALERJ TENTARÁ RECUPERAR RECURSOS PARA SANEAMENTO NO ENTORNO DA BAÍA DE GUANABARA

Primeiras oitivas da CPI da Previcampos acontecem nesta segunda

Estados e municípios têm até sexta para aderir a modelo cívico-militar

Comemoração do Dia Mundial da Árvore com ações de reflorestamento em Campos

Pista principal do aeroporto Santos Dumont reabre neste sábado

Morar Feliz: Processo de Garotinho e Rosinha tem novo relator no TJ

Investigações do caso Marielle levarão a novas prisões, diz delegado

AGORA É LEI: PET SHOPS TERÃO NORMAS DE TRABALHO

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas