Logo ASP

Notícias



Reforma da Previdência é promulgada pelo Congresso Nacional

Geraldo Magela / Agência Senado
O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) presidiu a solenidade de promulgação

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) presidiu a solenidade de promulgação

Em uma sessão conjunta do Congresso Nacional realizada na manhã desta terça-feira, dia 12, deputados federais e senadores promulgaram a reforma da Previdência, com alterações nas regras de concessão de benefícios previdenciários para mais de 72 milhões de pessoas, entre trabalhadores da iniciativa privada e servidores públicos da União. O texto é considerado a mais profunda mudança no sistema previdenciário brasileiro dos últimos 30 anos.


A proposta inicial do governo federal — ao apresentar a Proposta de Emenda Constitucional 6/2019, em 20 de fevereiro deste ano — era de obter uma economia de R$ 1,2 trilhão em dez anos. Com as alterações feitas pelos parlamentares, essa projeção caiu para R$ 800 bilhões no mesmo período.


A solenidade de promulgação da reforma foi presidida pelo presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e acompanhada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, não compareceram ao evento. Esta foi a 103ª na lista das Propostas de Emenda Constitucional (PEC) aprovadas pelo Parlamento.


— Não será a presença do presidente e do ministro que vai chancelar este encontro, essa promulgação. Estamos promulgando a Emenda Constitucional 103 e, se você for buscar na história, de todas as 103 emendas promulgadas, em poucas teve a participação do Poder Executivo. É um sinal de que o governo federal, através do Executivo e do Parlamento brasileiro, estão trabalhando em harmonia, mas em independência, respeitando cada um o papel do outro — afirmou Alcolumbre.


Ao discursar na solenidade de promulgação da reforma da Previdência, Rodrigo Maia disse que o Congresso Nacional precisa avançar em outras pautas econômicas para reduzir a desigualdade e concentração de renda no país. Ele defendeu a reforma tributária e abertura da economia brasileira, que segundo ele, protege a indústria nacional em detrimento dos brasileiros que são obrigados a consumir produtos caros e de pior qualidade.


— Mesmo não tendo avançado da forma como nós precisaríamos, nós reduzimos desigualdades, quando votamos a reforma da Previdência porque aqueles que vão pagar mais, são exatamente aqueles que estão no andar de cima. Quando a gente discute reforma tributária, é uma reforma social. Nós concentramos os impostos em bens e serviços e tributamos menos a renda (...) Significa que os ricos pagam menos impostos. Por isso, não podemos deixar a reforma tributária para o futuro — disse Maia, acrescentando: — A nossa economia é fechada. É também uma das reformas que nós vamos ter que ter coragem de enfrentar. O brasileiro não pode pagar mais caro com produtos de pior qualidade para proteger as indústrias brasileiras.


Com a publicação do ato no Diário da Casa e no Diário Oficial da União, previstas para essa quarta-feira (dia 12), a proposta entra em vigor e vai afetar a vida da maioria dos brasileiros. Vão ter que se aposentar pelas regras novas todos os trabalhadores que ainda não completaram os requisitos para requerer o benefício. Quem já se aposentou ou requereu pensão não será afetado.


Entenda as principais mudanças para os trabalhadores brasileiros


Regras de transição: Reforma da Previdência: empregados da iniciativa privada e servidores que já estão no mercado terão regras de transição

-------------------------------------------------
extraonline
https://extra.globo.com/

Mais Notícias

AGORA É LEI: PROGRESSÃO FUNCIONAL DOS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO SERÁ A CADA DOIS ANOS

Projeto do MP do Rio regulamenta afastamento de servidor para atuar em sindicato e associação

Agora é lei: empregado de órgão público do Rio que atende a população deve usar crachá

Presidente da Ancine é acusado de estelionato e falsidade ideológica

Festival de Vinhos acontece nesse fim de semana no Boulevard Shopping

Itaú Unibanco vai fechar 400 agências até o fim deste ano

Caixa reajusta preços das loterias; aposta mínima da Mega-Sena passará a R$ 4,50

Moro pede que PGR apure citação a Bolsonaro em caso Marielle

Flamengo x River: Chile cancela evento com Trump; tensão sobre final da Libertadores aumenta

Parque de diversões é interditado em Campos

Voos diários serão ampliados no aeroporto de Campos em 2020

AGORA É LEI: LICENÇA DE SERVIDOR QUE TIVER FILHO COM MICROCEFALIA SERÁ AMPLIADA

Torcedor do Flamengo que planejava invasão é preso dentro do Maracanã

Alerj decide soltar cinco deputados estaduais acusados de corrupção

Vazamento de óleo pode ter partido de navio irregular, diz Marinha

AGORA É LEI: CARTÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA É INSTITUÍDO NO RIO

Relógio histórico do Largo da Carioca é restaurado e recupera badalada musical

Governo defende que auxílio-doença do INSS seja pago por empresas; entenda

Juiz Ralph Manhães questiona possível redistribuição dos royalties

Alerj vota no dia 29 projeto sobre progressão funcional de servidores do Judiciário

Campanha de doação de medula mobiliza pessoas na corrida Federal kids

CNJ começa a julgar Glaucenir por áudio sobre Gilmar Mendes

Caso Marielle: Réu criou empresa na região do crime em área da prefeitura...

Pós-Graduação da UENF tem inscrições abertas a partir desta segunda

AGORA É LEI: ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES TERÃO QUE CADASTRAR OS RESPONSÁVEIS POR RETIRAR ALUNOS

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas