Logo ASP

Notícias



Agência Brasil explica: como agir após ter dados pessoais vazados

Reproduçãointernet

Os recentes vazamentos em massa de dados de consumidores em todo o país acenderam o alerta. De posse do nome completo, do endereço e do Cadastro de Pessoa Física (CPF), criminosos podem fazer estragos na vida do cidadão comum. Com linhas de crédito e dívidas contraídas indevidamente, pessoas físicas terminam com o nome negativado sem terem feito nada.


 


Para a vítima, resta o constrangimento e o trabalho de limpar o nome. Isso sem contar as dezenas de ligações diárias de cobradores em outras cidades. A tarefa envolve paciência e, algumas vezes, pode acabar nos tribunais.


 


Na maioria dos casos, a pessoa lesada pode resolver o problema nas próprias empresas. Primeiramente, o contribuinte deve pedir um extrato detalhado ao órgão de proteção em que está negativado, para comprovar a origem da dívida. Depois disso, é preciso entrar em contato com a empresa responsável pela negativação, por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), ou escrever uma carta de próprio punho afirmando desconhecer o débito.


 


Em todos os contatos, é importante que o cliente peça o número do protocolo na empresa responsável e tire cópia da contestação escrita a mão. O cidadão também deve pedir que a empresa emita algum documento que comprove o recebimento da carta, com data, assinatura e carimbo.


 


Quando o cliente descobre a negativação ao fazer uma compra no comércio local, deve falar com o gerente do estabelecimento, explicando a situação. É recomendado pedir uma declaração formal do gerente que possa ser usada como prova.


 


Justiça


O problema aprofunda-se quando a empresa se recusa a limpar o nome do consumidor. Nesse caso, a saída costuma ser a Justiça. O consumidor deve juntar a documentação obtida – número de protocolo, carta de próprio punho e declaração do gerente – e entrar com pedido de retirada do nome do cadastro de devedores. A vítima também pode pedir indenização por danos morais.


 


A retirada do nome dos órgãos de proteção ao crédito pode ser feita por meio de liminar, que tem tramitação rápida e dispensa a espera para o processo acabar. Munido de toda a documentação, o cliente pode marcar atendimento nos próprios órgãos de proteção e contestar o lançamento no cadastro de devedores sem pedido de liminar, mas a análise do caso é individual.


 


Prevenção


A melhor saída para evitar transtornos ainda é a prevenção, com o cliente desconfiando de qualquer mensagem, ligação e forma de contato recebida. Em relação a e-mails, o consumidor deve identificar a procedência do endereço da mensagem e evitar clicar em links e instalar qualquer programa. No caso de ligações telefônicas que peçam dados sensíveis, o cliente deve pedir a identificação do atendente e o número do protocolo. O ideal é desligar a chamada e ligar de volta, tentando retomar o atendimento com base no número do protocolo.


Uma das principais fontes de golpes, o whatsapp deve ter a identificação em duas etapas ativada. Por meio desse recurso, o usuário criará uma senha de seis algarismos que deverá ser digitada periodicamente ao ler as mensagens. O código inibe clonagens e aumenta a segurança do aplicativo. Em relação a cartões de crédito, é recomendado usar cartões virtuais em compras online. Além de poderem ser facilmente excluídos, os cartões virtuais não estão em outros vazamentos de dados.


No caso de sites do governo, como o Portal de Serviços Públicos do Governo Federal (gov.br) o Meu INSS e o auxílio emergencial, é recomendado trocar as senhas após o vazamento em massa.

-------------------------------------------------
agenciadenoticiasonline
https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2021-02/agencia-brasil-explica-como-agir-apos-ter-dados-pessoais-vazados

Mais Notícias

Bisneto da princesa Isabel se muda para o Centro do Rio

ALERJ TERÁ GRUPO DE TRABALHO PARA COMBATE À VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA

CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA GRIPE COMEÇA NO DIA 12 DE ABRIL

Bolsonaro anuncia imposto federal zerado para diesel e gás de cozinha

MULTAS E DÉBITOS DOS VEÍCULOS PODEM SER PARCELADOS EM ATÉ 12 VEZES

Veja 5 carros que saíram de linha durante a pandemia

Campos começa a vacinar profissionais da saúde contra a Covid-19

Trabalhador que se recusar a tomar vacina ou usar máscara pode ser demitido por justa causa

Eleitor pode justificar ausência no primeiro turno até quinta-feira

IPVA-2021 (RJ): GUIAS PODEM SER IMPRESSAS A PARTIR DESTA TERÇA-FEIRA

BRASIL EXIGIRÁ TESTE NEGATIVO DE COVID-19 PARA QUEM ENTRAR NO PAÍS DE AVIÃO

SALÁRIO MÍNIMO EM 2021 TEM PREVISÃO ALTERADA DE R$ 1.067 PARA R$ 1.088

Reino Unido identifica nova variação do coronavírus que se multiplica mais rapidamente

AGORA É LEI: SERVIDOR TERÁ FOLGA PARA EXAME ...

Por unanimidade, TSE confirma eleição de Wladimir Garotinho...

MINISTÉRIO DA SAÚDE CONFIRMA 1º CASO DE REINFECÇÃO POR COVID-19 NO BRASIL

OMS LANÇA CAMPANHA ANTIFUMO COM A AJUDA DAS REDES SOCIAIS

DETRAN/RJ: VOLTAM VALER PRAZOS PARA RECURSOS DE MULTAS E PROCESSOS DE SUSPENSÃO E CASSAÇÃO DE CNH

Eleição ainda sem um ponto final

MEC: INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DEVERÃO VOLTAR COM AULAS...

Reino Unido se torna 1º país a autorizar uso da vacina da Pfizer/BioNTech contra covid-19

Eduardo Paes anuncia nova secretária e mais três subprefeitos

Uso de máscaras e isolamento social contra a Covid-19 derrubam casos de ...

TJ-RJ prorroga prazo de adesão ao programa de aposentadoria

Vereador de Campos dos Goytacazes é multado por propaganda antecipada

<< PÁGINA ANTERIOR

Envie seu comentário!

Nome:

E-mail:

Comentário:


Publicidade

  • GClin Campos

  • WIZARD IDIOMAS

  • MEGAFARMA

  • ASP JUSTIÇA

    A LOGOMARCA É SÍMBOLO DA NOSSA UNIÃO. UTILIZE SEU ADESIVO!

Previsão do tempo

Redes sociais

Blog ASP Justiça

Twitter ASP Justiça

Consulte seu extrato

>>

Estatuto ASP Justiça

>>

Seja sócio da ASP Justiça

>>

Links e telefones úteis

>>

Site ASP 2009/2011

>>

Av. Quinze de Novembro, nº. 289 • 4º Andar • Sala ASP Justiça • Centro • Cep. 28035-100 • Campos dos Goytacazes-RJ
E-mail: aspjustica.aspjustica@gmail.com • © Copyright • Novembro/2009 • Todos os direitos reservados a ASP JUSTIÇA
Site feito byChucas: byChucas